quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Conexão por fibra óptica cresceu 82% entre janeiro e julho

O que você achou? 
Expansão da rede foi movida, principalmente, por provedores de pequeno porte.

Oito em cada dez novos acessos são feitos por conexões via fibra óptica. É o que aponta dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), divulgados na última quarta-feira (29).

Em julho, o Brasil contava com 30,5 milhões de conexões ativas, o que significa uma adição líquida de 1,65 milhão de novos assinantes desde janeiro.

O levantamento da Anatel constatou que, dessas adições, a maioria é de conexão por fibra óptica, que somaram 1,36 milhão de acessos, um crescimento de 82% das redes.

Ao todo, o país conta com 4,4 milhões de conexões em fibra óptica, o que representa 14,4% do total de 30,5 milhões. 

A maior parte do acesso fixo à internet no Brasil é por meio da rede de cobre (xDSL), com 41,8% das conexões. 

A internet por cabo perdeu mercado e detém atualmente 30,3% dos acessos. A conexão menos comum é a via rádio de alta capacidade que está presente em 7,6% das residências com acesso.

A expansão da fibra óptica aconteceu principalmente por meio dos provedores de pequeno porte de internet. 

LEIA TAMBÉM:


Esse grupo de empresas com menos de 50 mil clientes detém 5,63 milhões de acessos, o que representa 18,4% das conexões ativas do país. 

Os pequenos provedores são os que mais crescem e foram responsáveis por 73% de todo o crescimento do mercado neste ano. 

Em audiência pública realizada nesta quinta-feira (30) em Porto Alegre para discutir o Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações (Pert) foi abordada a participação dos provedores de pequeno porte para auxiliar na ampliação da cobertura de banda larga.

O Governo tem tomado medidas para melhorar a competitividade desses provedores. 

No Nordeste, por exemplo, um convênio foi celebrado entre Pernambuco, Piauí e Ceará e o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) permitindo a esses estados reduzirem a base de cálculo do ICMS para provedores regionais.

Entre as grandes operadoras, a NET Virtua/Embratel foi a que mais se destacou no mês de julho, aumentado sua base de clientes ao fechar 26.137 novos contratos de banda larga.

A Oi foi a única operadora a perder clientes de banda larga no mês de julho. No total, 12.819 pessoas resolveram deixar o serviço Oi Velox, cuja queda foi de 0,21% no mês.



8 comentários:

  1. "O Governo tem tomado medidas para melhorar a competitividade desses provedores.", e cadê as medidas pra obrigar a grandes operadoras como Vivo e NET ampliarem a fibra aqui em SP Capital ,onde só expandem em bairros bons e centro, isso e absurdo, e não e de hoje, isso tem mais de 10 anos por aqui, não sei se o crescimento de fibra entra a conexão VDSL, onde oferece velocidades altas, porém o cabo de fibra só vai ate o poste, de lá pra casa do ciente, e por par metálico, a Tim Live investe mais nesse tipo e conexão, só onde ela esta chegando que esta colocando fibra ate a casa do cliente, isso já e um grande avanço com certeza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente pra ti a cidade de São Paulo é inimiga da expansão de serviços. Em 5 anos a prefeitura daí só liberou UMA ANTENA. Isso mesmo, uma anteninha só. Há centenas de pedidos de todas as operadoras parados na burocracia da linda São Paulo. Para os entendidos aí da prefeitura, construir um edifício ou uma antena de telefonia é a mesma coisa. Um absurdo que se não mudar, impedirá o avanço das operadoras na cobertura e expansão dos serviços.
      A lei das antenas não sai do papel, então é sentar e chorar. Para completar, a partir de hoje a Eletropaulo está autorizada a retirar toda fiação, cabo ou fibra irregular de seus postes.
      Se eu fosse dono de uma operadora, realmente em São Paulo eu não investiria. Não tem como! É muita burocracia, muita demora, muita "lenga-lenga"!

      Excluir
    2. Isso das antenas fiquei sabendo, um absurdo, mais o povo de SP sempre dormindo e votando nos mesmos a 20 anos, se quem sofre mais não quer mudar, quem mudará por nós? Isso me deixa angustiado, a população mais pobre e a que menos se preocupa com política por aqui, e a que sofre mais, seja falta de internet decente, móvel ou fixa, e outros serviços essenciais, triste.

      Excluir
    3. Não há nenhum provedor regional aí no teu bairro? Porque 2Mbps ninguém merece... Ainda mais da Vivo...

      Excluir
    4. Aqui na zona leste não, porém eu comento mais pela precariedade mesmo que e SP no geral, porque a Vivo eu fiquei 8 anos com 2MB, só que pra minha sorte chegou Tim Live, e contratei 35MB em dezembro, mais não e só porque eu conseguir que penso só em mim porque na cidade toda a situação e triste, não e todo lugar que tem Tim Live, onde prevalece Vivo 2MB.

      Excluir
    5. Que legal! Eu com pena de ti e tu navegando no Tim Live! Que sorte a tua ela estar aí!

      Excluir
    6. Aqui em SP não e igual algumas cidades do interior, não tem provedores menores, porque em SP dificultam a entrada propositalmente, isso e uma vergonha.

      Excluir
  2. Aqui no meu bairro os provedores regionais são tantos que já concorrem entre si, cada um tentando dar mais benefícios, isenção de taxas, preços camaradas. Nem foram necessários incentivos de governo nenhum, apenas deixaram os provedores puxar suas redes de FTTH e trabalharem.
    O resultado? Estão abocanhando mercado de forma rápida, enquanto as grandes operadoras tradicionais nada podem fazer. Até a OI puxou fibra, mas não consegue concorrer no preço dos provedores daqui, que são bons e baratos.
    Para minha felicidade, tem 3 provedores regionais com fibra aqui, toda hora é carro pra cima e pra baixo, puxando instalação nova. Isso acontece quando se dá liberdade para os ISPs se instalarem e trabalharem. Gera empregos na cidade, gera acessos à banda larga.

    ResponderExcluir