terça-feira, 3 de julho de 2018

China Mobile deve ser impedida por Trump de entrar nos EUA

O que você achou? 
Governo americano não quer que a maior operadora mundial de telecom ofereça serviços no país por possíveis riscos à segurança.

A China Mobile é a maior operadora de telecomunicações do mundo e tem, atualmente, 899 milhões de clientes. Ainda assim, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, quer impedi-la de oferecer seus serviços ao setor de telecom americano.

Para o governo, a empresa representa riscos à segurança nacional, e por isso há a recomendação, em meio a alguns atritos comerciais que acontecem entre os países.


Neste ano, a Administração Nacional de Telecomunicações e Informação (NTIA) publicou um comunicado em seu site explicando sobre uma solicitação que a China Mobile fez em 2011, pedindo uma licença à Federal Communications Commission (FCC) para oferecer os serviços de telecom nos EUA. 

Mas, depois de pedir a opinião do Poder Executivo se o pedido era de interesse público do país, a resposta foi que não.

LEIA TAMBÉM:

“Depois de um envolvimento significativo com a China Mobile, as preocupações com o aumento de riscos para a segurança dos EUA e os interesses de segurança nacional não puderam ser resolvidas. Portanto, o Poder Executivo do governo dos EUA, por meio da NTIA, recomenda que a FCC negue a solicitação de licença da China Mobile”.

As informações sobre o bloqueio da China Mobile nos EUA foram reforçadas pela Reuters nesta segunda-feira (2), mas a operadora ainda não quis comentar o assunto.

Por outro lado, o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores chinês, Lu Kang, chegou a dizer que a China sempre incentiva suas empresas a operar de acordo com as regras de mercado e leis dos países onde opera, e que os Estados Unidos podem estar colocando pressão demais nas empresas chinesas.

“Nós pedimos que o lado relevante dos Estados Unidos abandone a Guerra Fria e os jogos de soma zero”, afirmou.


Um comentário:

  1. Nessa o Trump tem razão... É questão de segurança nacional. Pra nossa sorte, eles não entraram na Oi!

    ResponderExcluir