Mesmo com corte em tarifas para celular, fixo tem queda em fevereiro

40,5 milhões de brasileiros ainda têm linhas fixas, mas quase 145 mil cancelaram o serviço no segundo mês do ano.

Em fevereiro de 2018, começaram a valer as tarifas mais baratas de fixo para móvel no Brasil. Ainda assim, houve uma queda de 144.900 linhas na comparação com o mês de janeiro, de acordo com os dados divulgados pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) nesta terça-feira (20).

Se no último mês havia 40,7 milhões de linhas ativas, agora há 40,5 milhões. Enquanto o número de interessados em linhas móveis continua aumentando, a procura por fixos é cada vez mais rara. Nos últimos 12 meses, o setor teve redução de 1.146.444 linhas.






Na comparação mensal, a queda de fevereiro foi de 0,21% (-36 mil) nas linhas registradas pelas empresas autorizadas, enquanto as concessionárias reduziram 0,46%, com -108 mil linhas representadas por quedas de todas as operadoras. Separado por grupo, apresentaram os maiores aumentos e quedas:
Autorizadas
  1. Oi: +2.717 linhas fixas em fevereiro (+1,66%)
  2. TIM: +5.474 (+0,75%)
  3. Vivo: +15.603 (+0,33%)
  4. Claro: -19.484 (-0,18%)

LEIA TAMBÉM:
Concessionárias

  1. Algar Telecom: -758 linhas fixas em fevereiro (-0,10%)
  2. Vivo: -12.109 (-0,13%)
  3. Oi: 93.942 (-0,71%)
  4. Sercomtel: -1.558 (-0,91%)
Apesar da queda do setor, a Oi, a TIM e Vivo, portanto, apresentaram resultados positivos entre as autorizadas, enquanto a Claro Brasil registrou queda. De toda forma, a operadora ainda reúne mais de 10 milhões de linhas fixas ativas.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
7 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários