Vivo é campeã em Governança Corporativa

A Vivo é a vencedora da categoria Governança Corporativa de As Melhores da Dinheiro 2012. Em apenas nove meses, a companhia fez a sua reestruturação societária com transparência e respeito aos direitos dos acionistas minoritários. Desde que o grupo espanhol Telefônica comprou a Vivo, em julho de 2010, o presidente da companhia, Antonio Carlos Valente, que comandava uma empresa com atividade restrita ao Estado de São Paulo, passou a ser o principal executivo de uma operação nacional, com mais de 90 milhões de clientes, em junho de 2012.

Para conhecer melhor esse colosso, ele deixou os escritórios refrigerados da sede da companhia, em São Paulo, para se enfiar pelos rincões do País. Um deles foi Catas Altas da Noruega, cidade com 3,5 mil habitantes, a 140 quilômetros de Belo Horizonte, onde foi inaugurar uma antena de telefonia 3G da Vivo. “Esse é o Brasil real”, diz Valente. Mas tão importante quanto conhecer o Brasil real era preparar a união da estrutura societária das duas empresas: a Telesp, de telefonia fixa, com a Vivo, de celulares.

A primeira etapa nesse processo foi definir um comitê independente para definir a relação de troca de ações, seguindo uma recomendação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Nele, cada empresa contava com três representantes, dois conselheiros independentes e um profissional externo. “Como não participavam os controladores ou diretores executivos das companhias, o comitê tinha total independência para trabalhar e não sofria nenhuma espécie de influência”, diz Gilmar Camurra, diretor financeiro da Vivo. Foram contratados o banco espanhol Santander, pelo lado da Telefônica, e a consultoria financeira americana Signatura Lazard, pela Vivo, para assessorar esse grupo, que começou a trabalhar em dezembro de 2010.

Em apenas quatro meses, eles concluíram os seus trabalhos, ao apresentar uma proposta para a relação de troca dos papéis. Em reunião do conselho de administração da Telefônica, em maio do ano passado, ela foi aprovada: para cada ação ordinária ou preferencial da Vivo foi emitida 1,55 ação da Telesp, da respectiva espécie. Em 8 de junho de 2011, menos de um ano após a compra da Vivo, as ações da Telefônica Brasil, com os códigos VIVT3, para as ordinárias, e VIVT4, para as preferenciais, passaram a ser negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo.

COMPARTILHAR EM:


About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários