Vivendi pode demitir 10.000 ainda neste ano

Jean-Bernard Lévy, ex-presidente da Vivendi: executivo deixou a companhia na semana passada


A Vivendi anunciou que planeja reduzir os custos neste e no próximo ano. Segundo rumores de mercado, os cortes podem chegar a 1,2 bilhão de dólares e demissões também estão previstas.

De acordo com reportagem do Wall Street Journal,desta terça-feira, a estratégia tem a ver com o combate a uma guerra de preços no mercado francês de telefonia. Até novembro são esperadas pelo menos 10.000 demissões.

Na semana passada, Jean-Bernard Lévy deixou o cargo de CEO na companhia. O executivo trabalha há mais de uma década para a Vivendi e há tempos algumas de suas decisões vinham desagradando os acionistas.

Existem rumores também de que a companhia esteja analisando a venda de alguns de seus ativos. No Brasil, a Vivendi controla a operadora GVT e o Universal Music Group.

No UOL Play você encontra filmes, séries, desenhos, shows e esportes ao vivo. Além disso, alugue os títulos que acabaram de sair do cinema. Clique e experimente por 7 dias grátis!

About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários