05/04/2024

Ericsson pede mais garantias sobre uso secundário da faixa 700 MHz

Uso secundário da faixa 700 MHz está em pauta nos últimos meses e por isso executivo da Ericsson deu opinião sobre o assunto.

A Ericsson destaca a importância de um acordo para garantir a continuidade dos serviços prestados por uma operadora em caráter secundário caso a frequência de 700 MHz seja repassada em caráter primário para outra operadora, o que pode aumentar a atratividade do uso dessa faixa.

A sugestão foi feita por Rodrigo Dienstmann, CEO da Ericsson para o Cone Sul da América Latina, durante uma mesa-redonda online com jornalistas. Dienstmann também enfatizou que os 700 MHz são essenciais para lançar serviços de mobilidade em regiões onde há escassez de aparelhos 5G.

Esta semana, várias empresas de telefonia móvel solicitaram à Anatel a suspensão dos efeitos de um acórdão que liberou uma faixa de frequência em caráter secundário. Elas argumentam que o prazo de uso de três anos, renováveis por mais três, é insuficiente para justificar os investimentos, pois ainda estão concentradas na construção das redes em frequências de banda média.

Com a devolução da faixa de 700 MHz pela Winity, a possibilidade é que a segunda (Highline) ou terceira colocada (Datora) no leilão do 5G assumam a frequência prioritariamente. Outra opção é realizar um novo leilão para que outra empresa adquira o espectro.

Para o executivo é crucial garantir um acordo entre operadoras com direitos primários e secundários para evitar interrupções nos serviços essenciais que utilizam essa frequência. A faixa de 700 MHz desempenha um papel fundamental na inclusão digital do país e na melhoria da eficiência em setores como logística e agricultura.

“Se os 700 MHz forem relicitados, tem que ter um acordo [entre operadoras com direito de uso primário e secundário] para não ter uma disrupção de serviços críticos em cima da frequência. A faixa tem um papel importante na inclusão digital do País e no aumento da eficiência, inclusive em rodovias, para criação de novos modelos de negócio na logística e na agricultura”.

O CEO regional da Ericsson destacou que a hesitação em usar o espectro em caráter secundário está ligada às decisões sobre os serviços planejados pelas empresas. A frequência de 700 MHz é crucial para casos de uso, incluindo o 5G.

O uso secundário é essencial para garantir a experiência do cliente e as operações das empresas, mas muitas estão explorando diferentes casos de uso, como FWA, mercado empresarial e consumidor.

“A frequência de 700 MHz tem um papel importante para viabilizar casos de uso, inclusive em 5G. O uso secundário é primordial para garantir a experiência do cliente e para as operações das empresas que querem lançar o serviço móvel, mas vemos que as entrantes ainda estão tateando o uso principal – algumas olhando FWA, mercado empresarial, consumidor, e outras olhando para todos os casos”.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários