21/02/2024

Explosão solar causa blecaute em ondas de rádio em partes da Austrália e da Ásia

Esse tipo de atividade pode provocar uma supertempestade solar, que possivelmente pode afetar todas as redes de conectividade do mundo.

Em novembro de 2023, noticiamos aqui um alerta que o professor Peter Becker, responsável por um projeto com a Universidade George Manson e o Laboratório de Pesquisa Naval, nos Estados Unidos, emitiram sobre atividades solares que podem interromper o acesso à internet por meses em todo o planeta, resultado de uma explosão solar.

Entre discussões sobre possível teoria da conspiração e sensacionalismo, a física solar Keith Strong anunciou que, nesta segunda-feira (05), se iniciou uma grande explosão solar sobre a mancha AR3575, cuja intensidade provocou um breve blecaute de rádio em partes da Austrália e da Ásia. Em sua postagem no X (antigo Twitter) Strong postou um vídeo mostrando a explosão de partículas e a Terra em escala.

De acordo com a física, as partículas liberadas pela explosão ionizaram a camada superior da atmosfera, cujo processo afetou as ondas de rádio em frequências abaixo dos 30 MHz na Austrália e sudeste asiático.

Classificado como M 4.2, esse tipo de fenômeno é capaz de causar blecautes de rádio nas regiões polares da Terra e pequenas tempestades de radiação solar, que inclusive, podem ser perigosas para astronautas que estiverem desprotegidos.

Embora não tenhamos sofrido diretamente com o fenômeno, ou não tenha afetado de forma significativa a conectividade mundial, a intensidade e frequência de outras atividades solares que estão por vir podem afetar. De acordo com a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), há probabilidade elevada de erupções das classes M e X ao longo dos próximos dias.

Entenda o caso

As explosões solares provocam o lançamento de massa coronal (EMC) para a Terra, que acaba interferindo no campo magnético do planeta, provocando assim uma supertempestade solar que pode afetar todas as redes de conectividade do mundo.

O cientista Peter Becker explica que há grandes erupções de gás ionizado a alta temperatura, que são gerados na coroa solar. Ao atingir o campo magnético terrestre, esse gás pode causar tempestades geomagnéticas, afetando assim os meios de comunicações e as estações elétricas.

As explosões solares são fenômenos naturais, que estão ligados ao ciclo do Sol, que dura 11 anos, e eles são classificados conforme a intensidade: as mais fortes são consideradas do tipo X, e as mais fracas, do A. O Centro de Previsão do Clima Espacial da NOAA previa que o Ciclo Solar 25 só aconteceria em julho de 2025, mas devido às interferências humanas, a fase mais intensa da tempestade será este ano.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários