18/06/2024

Amazon é acusada e usar IA em filme que seria distribuído pelo Prime Video

Responsável pelo filme afirma que utilizou inteligência artificial para driblar os dias da longa greve dos roteiristas e atores.

Uma controvérsia envolve o próximo lançamento do filme “Matador de Aluguel”, que é uma nova versão do clássico de 1989. A empresa responsável pela produção, a Amazon, está sendo acusada de ter recorrido à inteligência artificial para manter as gravações em andamento durante a greve dos atores em Hollywood no ano passado.

Prime Video

Isso significa que, em vez de depender exclusivamente de atores reais para completar as cenas do filme, a Amazon supostamente utilizou tecnologia de inteligência artificial para substituir os atores em certas sequências. Isso levanta questões éticas e práticas sobre o uso da IA no cinema, especialmente em situações em que os atores estão em greve.

O roteirista do filme “Matador de Aluguel” de 1989, R. Lance Hill, entrou com um processo contra o estúdio MGM, controlado pela Amazon, na terça-feira, 27, alegando violação de direitos autorais. Hill afirma que o estúdio ignorou seu direito sobre a história criada há mais de 30 anos.

Esse conflito destaca as complexidades da nova Hollywood, onde os direitos originais do filme estavam com a United Artists, uma produtora estabelecida há mais de um século, adquirida pela MGM em 1981. Em 2022, a Amazon comprou a MGM por US$ 8,5 bilhões.

Hill tentou reivindicar os direitos autorais de “Matador de Aluguel” em 2021, através da Secretaria de Direitos Autorais dos Estados Unidos, antes que a United Artists perdesse os direitos sobre o filme em novembro de 2023.

Segundo o roteirista R. Lance Hill, a Amazon teria ignorado seu pedido para recuperar os direitos autorais do filme “Matador de Aluguel” antes do prazo de 10 de novembro de 2023, e teria usado inteligência artificial para replicar as vozes dos atores, concluindo o filme em janeiro, dois meses após o prazo final dos direitos autorais.

No entanto, fontes próximas ao estúdio afirmam que a IA foi utilizada apenas nos primeiros cortes do filme e que as edições com essa tecnologia foram removidas da versão final, negando as alegações de Hill. A Amazon respondeu afirmando que as acusações são falsas e que o filme não utiliza IA para substituir as vozes dos atores, prometendo se defender contra as acusações. Hill moveu uma ação para impedir a distribuição do filme, programada para 21 de março no Prime Video.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários