28/02/2024

Oi almeja crescer cada vez mais no serviço de fibra óptica e B2B

Segundo os resultados trimestrais, a operadora teve um crescimento de 6% na receita da Oi Fibra no terceiro trimestre do ano.

Depois da venda de sua unidade móvel de telefonia, a Oi focou seus negócios no segmento de internet banda larga via fibra óptica, que se tornou o carro-chefe da empresa. No terceiro trimestre deste ano, a Oi Fibra registrou um crescimento de 6% na receita, em comparação ao mesmo período de 2022.

Houve um avanço na base de casas conectadas com fibra e melhoria da receita mensal média por usuário (ARPU), além da expansão dos serviços em Cloud foram os principais fatores desse resultado.

De acordo com VP de Estratégia da companhia, Rogério Takayanagi, a Oi Fibra só não obteve um resultado maior por conta da grande concorrência presente atualmente no mercado, além do impacto de uma virada na estratégia comercial, que busca principalmente uma maior rentabilidade dos clientes entrantes.

A empresa tem buscado conquistar vários mercados por estratégias comerciais, incluindo campanhas publicitárias para um público regional. Por exemplo, mês passado lançou uma campanha específica para o Nordeste, com aspectos típicos da região na busca de atrair novos clientes por meio da identificação.

“Nosso direcionamento está voltado principalmente para atender as necessidades de cada consumidor de forma mais eficiente, oferecendo também uma experiência mais completa e que encante o cliente, aumentando também a fidelização “, explicou Takayanagi.

As receitas com TIC para clientes B2B cresceram 23,8% no ano e 6,1% no trimestre, representando 26,2% da receita da Oi Soluções. Esse crescimento recebeu impulso dos serviços de Cloud, com crescimento de 174% na comparação anual, além dos serviços de Segurança e de Redes baseados em gestão por software (SD-WAN), que cresceram 30% e 28% ano contra ano, respectivamente.

A operadora está na sua segunda recuperação judicial e busca, junto aos credores, finalizar o novo Plano de Recuperação Judicial, onde inclui uma série de medidas, como a venda dos ativos da UPI ClientCo. Tanto que a Oi contratou o Citigroup para analisar possíveis ofertas.

“A ideia é avaliar alternativas estratégicas que envolvam a monetização da UPI ClientCo, que reúne a operação de prestação de serviços de banda larga via fibra dos segmentos varejo e empresarial. A contratação dos assessores foi feita para uma avaliação de mercado relacionada a essas operações já previstas e comunicadas publicamente durante o processo de negociação do Plano de Recuperação Judicial, no início de 2023”, disse Takayanagi.

Enquanto tenta sair da atual situação financeira, a Oi continuará com suas estratégias para acelerar o crescimento de casas conectadas com fibra, assim como impulsionar as vendas de TIC para clientes B2B. O CEO da empresa diz que “Nossa meta é garantir a manutenção e o escalonamento do crescimento rentável no novo modelo de fibra, mesmo em um mercado mais competitivo e cenário macro menos favorável“.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários