19/05/2024

Brasil é o país que mais investe em rede móvel na América Latina

Além do Brasil, outros países da América Latina participaram de uma pesquisa que analisam investimento no setor de telefonia móvel.

O Brasil se destaca como a nação que mais alocou faixas de frequência exclusivas para o uso nas redes móveis, segundo pesquisa divulgada nesta terça, 8, pela 5G Américas. De acordo com o estudo, as empresas de telefonia celular possuem um total de 1.060 MHz disponíveis em intervalos de frequência inferiores a 6 GHz. 

Brasil

Tais faixas são reconhecidas como segmentos de alto valor devido à combinação entre a amplitude significativa do sinal e uma capacidade razoável de transferência de informações.

O segundo lugar na lista pertence ao Uruguai, o qual disponibiliza cerca de 23% menos espectro em frequências abaixo de 6 GHz para as operadoras de telefonia móvel. O Peru ocupa a terceira posição, com uma disponibilidade de 739,2 MHz. 

Em média, os países da América Latina liberam aproximadamente 508 MHz em faixas de frequência. Vale ressaltar que o Brasil também se destaca na região por possuir uma infraestrutura 5G mais avançada, abrangendo um maior número de cidades e habitantes em comparação com as demais nações.

“Espera-se para o restante do ano que Argentina, Colômbia, Guatemala e México realizem licitações de espectro radioelétrico para incentivar o desenvolvimento de serviços 5G, o que fará com que a média regional aumente”, afirma a 5G Americas. 

O Brasil se destaca em diversos aspectos no cenário de comunicações móveis. Especificamente, o país lidera no que diz respeito à alocação de frequências de 3,5 GHz para suporte às redes móveis. 

Para ser mais preciso, o Brasil reservou um total de 380 MHz nesta faixa de espectro. Em comparação, os países que ficaram em segundo lugar nesse ranking são o Uruguai e a Guatemala, ambos com uma alocação de 300 MHz na mesma frequência. A importância dessa faixa de 3,5 GHz para a tecnologia 5G é notável, uma vez que ela oferece uma combinação crucial de alta capacidade de transmissão e um alcance eficiente.

Além disso, a organização 5G Americas observa que o Brasil está na vanguarda da região quando se trata da distribuição de espectro em faixas de frequência mais elevadas. Durante o leilão do espectro destinado ao 5G, as operadoras brasileiras receberam um total de 1435,1 MHz na faixa de 26 GHz. 

Essa distribuição é notável, visto que apenas o Chile, que alocou 380,4 MHz na frequência de 26 GHz, e o Uruguai, com uma alocação de 850 MHz na faixa de 28 GHz, também reservaram faixas de ondas milimétricas para serviços móveis. Isso ressalta a posição do Brasil como líder na adoção e alocação de frequências relevantes para impulsionar a próxima geração de tecnologia móvel.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários