21/02/2024

Diretor de cinema afirma que modelo econômico atual de streaming é insustentável

Steven Soderbergh elogia a Sony Pictures, que não lançou sua própria plataforma e tem investido na produção de filmes e séries para vender.

Ultimamente, o mercado de streaming tem passado por uma situação de saturação, onde a cada dia surge uma plataforma diferente. O segmento ainda enfrentará muitos desafios pela frente. Para o diretor Steven Soderbergh, os serviços de streamings vão passar por nova mudanças nos próximos três anos, e questiona o modelo econômico atual.

Para o diretor, que fez cinco filmes para serviços de streaming nos últimos cinco anos, o modelo econômico atual das plataformas é insustentável. “Eu tenho questões sérias sobre este modelo econômico, e muitas delas só podem ser respondidas se eles [os serviços de streaming] mostrarem os dados, o que não vão fazer”, explica. “Eu não acho que o atual modelo seja sustentável”, disse à Folha.

Steven Soderbergh tece elogios a Sony Pictures que preferiu não entrar no setor com um serviço próprio. “Eles fizeram uma escolha clara de não entrar no mercado de streaming e tem feito bons negócios ao só produzir filmes e séries, vendendo a terceiros. Se estivesse no comando de uma dessas empresas, eu adotaria esse modelo de negócio”.

Essa semana será lançada na HBO Max, a minissérie “Círculo Fechado”. Todos os episódios foram dirigidos por Steven, e se trata de seu primeiro projeto depois da conclusão de um acordo de três anos de produção e distribuição com a plataforma, no fim de 2022. Ressaltando que ele também chegou a produzir, em 2019, longas-metragens “High Flying Bird” e “A Lavanderia” para a Netflix.

O diretor explica que o contrato com a HBO Max foi ótima para ele, pois o permitiu produzir mais. Entretanto, ele destaca que não há retorno de discussão para o desempenho dos projetos. “Eu nunca recebi um retorno [sobre os filmes]. Eles nunca me procuraram para renovar o contrato, mas eu não fiquei surpreso com isso. Eles apenas não fazem esse tipo de acordo mais”.

No começo do ano, a Warner Bros. Discovery lançou o filme “Magic Mike – A Última Dança”. A continuação saiu nos cinemas dos Estados Unidos antes de estrear no streaming, contrariando o plano inicial de produção para a HBO Max. Já no Brasil, o filme foi disponibilizado apenas para locação digital e para o serviço de streaming. Segundo o diretor, a decisão foi tomada após o estúdio ver o filme.

“Eles tinham dados que comprovavam que filmes com distribuição nos cinemas eram mais vistos no streaming e que eles conseguiam de volta o dinheiro investido no lançamento”, afirma Soderberg.

Para ele, que afirma ter feito sua carreira com filmes de médio orçamento, as salas de cinema não exibem mais esse filmes “econômicos”. “O que parece estar funcionando para o mercado é algum tipo de espetáculo ou grande fantasia. Aí temos a A24, com produções de baixo orçamento, e depois não há nada no meio”, diz o diretor. “Os filmes feitos para adultos não existem mais nos cinemas“.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários