19/07/2024

Oito em cada dez transações bancárias são digitais, diz estudo

Movimentações bancárias por meios digitais estão cada vez mais populares no Brasil, como mostram dados do último ano.

A Pesquisa Febraban de Tecnologia Bancária 2023, que utilizou o ano-base de 2022, revelou que quase 8 em cada 10 operações bancárias realizadas no Brasil são feitas por meio de canais digitais, como o mobile banking e o internet banking, totalizando 77% das transações. 

Digital

Esses dados foram divulgados durante o evento Febraban Tech 2023, realizado nesta semana. O celular, por si só, é responsável por 66% de todas as operações realizadas no país.

No último ano, os brasileiros realizaram um total de 163,3 bilhões de transações nos diversos canais de atendimento oferecidos pelos bancos. Esse número representa um aumento significativo de 30% em relação a 2021. 

É importante destacar que esse índice de crescimento é o maior já registrado na história das transações bancárias, sendo impulsionado principalmente pelo desempenho do mobile banking, que apresentou um aumento de 54% no número de operações realizadas pelos clientes, totalizando 107,1 bilhões.

Remuneração através do aplicativo Whatsapp

A pesquisa divulgou pela primeira vez dados sobre transações bancárias digitais realizadas através do recurso de pagamentos do aplicativo de mensagens Whatsapp, que foi autorizado pelo Banco Central em março de 2021. De acordo com o estudo, 50% dos bancos entrevistados disponibilizam o canal do WhatsApp para transações. Em um período de um ano, as transações aumentaram em 531%, totalizando 56,2 milhões de operações.

Dentre esse total, 37% correspondem a transações financeiras utilizando o Pix e 29% são renegociações de dívidas. A ferramenta também facilita a realização de consultas para os clientes. Em relação às transações não financeiras, as consultas de saldo e extrato representam 24% do total, enquanto as consultas de cartão de crédito correspondem a 10% das operações mais frequentes.

O levantamento revelou uma queda nas transações realizadas pelos brasileiros nas agências bancárias, diminuindo de 3,3 bilhões para 3,2 bilhões, e atualmente esse canal representa apenas 2% do total. As transações realizadas em ATMs também diminuíram, passando de 7,4 bilhões para 5,4 bilhões, assim como aquelas realizadas por meio de contact centers e correspondentes bancários, que caíram de 5,5 bilhões para 5,2 bilhões.

“Os resultados reforçam, mais uma vez, que a cada ano temos mais adesões de brasileiros pelos canais digitais, demonstrando a inovação, segurança, acessibilidade e confiabilidade destes meios nas transações bancárias do dia a dia. Os bancos tornaram mais democrático o acesso aos serviços financeiros, estão mais próximos de seus clientes, fruto de um robusto investimento em tecnologia feito anualmente e que em 2023 deve chegar a R$ 45 bilhões”, disse Isaac Sidney, presidente da Febraban.

Dados sobre o Pix

O Pix é um sistema de pagamento instantâneo que tem se destacado pela sua agilidade e facilidade nas transações financeiras. Em um período de pouco mais de dois anos desde o seu lançamento, o Pix tem transformado o comportamento dos clientes e a forma como realizam pagamentos e transferências de valores.

Isso é evidenciado pelos números de adesão ao Pix. Em 2021, o total de transações feitas por meio do Pix chegou a 5,7 bilhões, mas em 2022 esse número ultrapassou os 11,7 bilhões, o que representa um aumento de 105% em relação ao período anterior. Em contrapartida, as transações feitas por meio de TED e DOC registraram uma queda de 29% no mesmo período.

Rodrigo Mulinari, diretor do Comitê de Inovação e Tecnologia da Febraban, destaca que o Pix tem conquistado um crescimento expressivo no número de usuários que realizam no mínimo 30 transações instantâneas por mês, conhecidos como “heavy users”, tanto para contas de pessoa física quanto para contas de pessoas jurídicas. O envio de Pix teve um aumento de 131%, totalizando 46 milhões de heavy users, enquanto os recebimentos alcançaram 33 milhões de heavy users, um aumento de 106%.

“Desde que o Pix entrou em funcionamento, os volumes significativos de transações e de adesões de clientes à ferramenta comprovam a eficiência e aceitação do meio de pagamento. Com a expansão de novas modalidades previstas na agenda regulatória, avaliamos que as transações tendem a aumentar ainda mais e fazer com que comércios e serviços ampliem a utilização da ferramenta como meio de pagamento”, avalia Mulinari.

Contas

Em 2022, foram abertas 46,2 milhões de contas correntes, sendo que 63% foram abertas por canais digitais. Pelo segundo ano consecutivo, as contas abertas por meios digitais superaram as abertas em canais físicos.

45% das 469 milhões de contas ativas estão sendo utilizadas através do mobile banking. A adoção desse canal por pessoas físicas é massiva e agora também está sendo adotada pelo cliente pessoa jurídica. Isso reflete os investimentos feitos pelo setor financeiro para atender a diferentes públicos e segmentos através do meio digital.

Open Finance

Entre 2021 e 2022, houve um aumento de 971% na quantidade de usuários pessoas físicas que consentiram em compartilhar seus dados bancários com outras instituições financeiras no contexto do Open Finance.

Seguros

No ano de 2022, foram contratados 55,2 milhões de novos produtos de seguro. 25% das contas ativas realizaram a contratação de pelo menos um produto de seguridade. Esse cenário evidencia a oportunidade de digitalizar todo o processo de contratação de seguros, utilizando tecnologias e orquestração de processos.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários