05/04/2024

Bancos do Brasil criam regras contra uso do ChatGPT

Uso irregular do ChatGPT tem gerado preocupação aos bancos brasileiros, por isso as instituições resolveram tomar certas medidas.

Com o objetivo de salvaguardar informações confidenciais dos clientes e trabalhos internos, os bancos brasileiros estão implementando restrições no uso do ChatGPT durante o horário de trabalho. De acordo com uma pesquisa conduzida pelo Tilt, do UOL, pelo menos dois desses bancos já possuem diretrizes internas para seus funcionários.

Banco

Dentre os principais bancos atualmente no Brasil, Bradesco e Banco do Brasil estão entre aqueles que já estão atentos à utilização da inteligência artificial no ambiente de trabalho. A resposta da Caixa, Itaú Unibanco e Santander à solicitação do portal não foi fornecida, deixando em aberto o tratamento do chat entre seus funcionários.

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) informou ao Tilt que não existe uma regulamentação específica criada para o uso do ChatGPT por instituições financeiras no país, ficando a critério de cada banco determinar a melhor abordagem para lidar com essa questão.

Após consulta do portal, o Banco do Brasil informou que não proibiu completamente o uso da ferramenta, mas implementou restrições em relação à sua utilização. No entanto, manifestou interesse em contar com essa plataforma para auxiliar em situações específicas no trabalho.

O Banco do Brasil ressalta que continua acompanhando as inovações do mercado e avaliando a adoção de recursos que possam gerar valor para clientes e funcionários, sempre priorizando a segurança e proteção. Entre essas possibilidades está a consideração da utilização de IA aberta, como o ChatGPT.

No entanto, o Banco do Brasil destaca que o uso dessa ferramenta será moderado e dentro de condições específicas, respeitando as políticas de segurança. A inteligência artificial continuará sendo empregada em situações específicas, seguindo as políticas de segurança estabelecidas.

Por outro lado, o Bradesco adotou uma medida mais rigorosa, chegando a proibir o uso da versão gratuita do ChatGPT pelos funcionários. No entanto, é importante ressaltar que existe uma distinção entre utilizar a solução OpenAI e a própria ferramenta.

“O uso do ChatGPT em sua instância pública não é liberado para os funcionários. Vale esclarecer que há uma diferença entre usar o ChatGPT público e contratar a solução OpenAI, usando os motores da empresa, mas preservando os dados no ambiente privado do Banco”, afirmou. 

Seguindo os princípios de responsabilidade e ética no uso da Inteligência Artificial, o Bradesco tem adotado medidas para implementar essas diretrizes em suas operações. Uma das iniciativas recentes consiste na utilização do ChatGPT como uma ferramenta complementar na análise de textos oficiais produzidos pelo Banco Central do Brasil, de acordo com informações do Departamento de Pesquisa e Estudos Econômicos do Bradesco.

ViaUol
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários