06/04/2024

Para Vivo, toda faixa 4.9 GHz deve ser para telefonia móvel

Vivo deseja que toda a faixa 4.9 GHZ seja destinada para o 5G. Além disso, acredita que as modificações vão acabar com telefone fixo.

A Vivo (Telefônica Brasil), afirma que apenas as operadoras móveis devem ser contempladas com a destinação de 160 MHZ de espectro da faixa de 4.9 GHz. Esse parecer da empresa foi dado após a Consulta Pública 23, feita pela Anatel, Agência Nacional de Telecomunicações. 

Logo Vivo Telefônica

A Vivo entende que há uma maior necessidade de mais frequências médias para o serviço de internet móvel 5G. Além disso, pediu que os 190 MHz da faixa sejam transferidos para a tecnologia móvel. 

Para a operadora, os rádios enlaces, que são usados em construção de redes fixas e móveis onde não é possível ter fibra, devem ser protegidos até onde não causem interferências no sinal do 5G. Ainda acrescentou que a alteração deve acabar com o telefone fixo em alguns pontos do Brasil. 

Segundo ela, a realocação da faixa está diretamente ligada à descontinuação do serviço de telefonia fixa em algumas regiões. Pois elas são suportadas por enlaces ponto-a-ponto. Veja a fala completa sobre essa pauta: 

“O processo de realocação da faixa ora pretendido acarreta desafios (…) destaca-se o risco de descontinuidade na prestação de serviços fixos de interesse coletivo em determinadas localidades atualmente suportadas por enlaces ponto-a-ponto, cuja mitigação exigirá uma coordenação adequada entre os diferentes serviços”.

A empresa ainda complementou afirmando que a adaptação das estações deve ser compulsória apenas quando houver evidências concretas de que há interferências que prejudicam os outros serviços. 

“A adaptação das estações previamente autorizadas a eventuais novas condições de uso (…) deve ser compulsória somente nos casos onde efetivamente se observarem a partir de evidências concretas a ocorrência de interferências prejudiciais sobre os demais serviços”, diz.

A Vivo acredita que há necessidade de coordenação entre os usuários de hoje e os anteriores usuários da faixa, por isso deseja uma abordagem com cautela por parte da Anatel. Também acrescentou que antes de uma licitação, é importante concluir os testes de convivência entre os serviços. 

Se houver licitação, os rádios enlaces que estão em uso terão acesso ao espectro somente em caráter secundário.

5 COMENTÁRIOS

Se inscrever
Notificar de
guest
5 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais Votados
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários