03/07/2022

Estudo revela dificuldades do acesso à internet em pequenos municípios brasileiros

Pesquisa do Cetic.br teve participação do Programa de Acesso Digital (DAP) da Embaixada Britânica no Brasil e da Anatel.

Um estudo do Centro de Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) sobre o acesso à internet em municípios brasileiros com até 20 mil habitantes, apontou que mesmo tendo crescido expressivamente o acesso, isso aconteceu de forma desigual.

Os municípios com até 20 mil pessoas, que concentram 31,6 milhões de habitantes, obtiveram um percentual de usuários menor do que verificado em grandes centros urbanos.

O relatório também apontou que houve uma expansão recente de fibra óptica nesses municípios, que está associado ao esforço dos provedores de pequeno porte presentes ali. Constatou também que houve uma substituição de alguns tipos de conexão, como rádio para fibra, ação fundamental para a ampliação do uso das TICs pela população.

Segundo o estudo, o grau de profissionalização dos provedores impacta diretamente a qualidade dos serviços oferecidos e os níveis de conectividade dos municípios. No entanto, ainda há barreiras importantes para a conectividade em áreas rurais, remotas e de difícil acesso.

Essas dificuldades estão associadas ao custo de expansão da fibra óptica, da falta de energia elétrica, da instalação e manutenção das torres no caso da conexão via rádio. Assim como, as características geográficas que dificultam o alcance do sinal ou atrapalham a instabilidade da conexão.

Uma das principais constatações apresentadas no relatório se refere a ausência de políticas públicas locais voltadas ao enfrentamento das desigualdades no acesso à conexão e nos uso das tecnologias em pequenos municípios.

Segundo os entrevistados, o custo financeiro para contratação de planos com maiores velocidades é uma das barreiras que afetam especialmente os mais vulneráveis, além da falta de habilidades digitais e carência de dispositivos de acessos adequados.

A pesquisa contou com a participação do Programa de Acesso Digital (DAP) da Embaixada Britânica no Brasil e da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), baseado em dados coletados pelas pesquisas do Cetic.br e em dados fornecidos pela Anatel.

O estudo foi produzido em duas etapas: quantitativo e qualitativa. Na quantitativa, foram selecionados 485 municípios, que foram divididos em quatro grupos através de indicadores de conectividade (acessos) e capacidades locais (atributos relacionados à qualidade e segurança dos serviços ofertados pelos provedores e serviços públicos on-line e políticas de inclusão digital implementadas pelas prefeituras).

Na qualitativa, gestores de prefeituras e de provedores foram entrevistados, assim como lideranças locais. Foram realizados grupos de discussão com residentes em 20 cidades das cinco regiões do Brasil. Capacidades dos provedores e dos governos locais, qualidade e segurança dos serviços ofertados pelos provedores, políticas de inclusão digital, usos das tecnologias pela população e barreiras à conectividade foram as bases para a análise de dados.

Cleane Lima
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x