Consumidora foi negativada indevidamente pela TIM

Empresa foi condenada a pagar por danos morais pela prática; entenda.

Ilustração - Justiça
Imagem: Pixabay

Se as cobranças indevidas já são verdadeiros transtornos, consegue imaginar uma negativação sem motivos? Foi essa situação que uma consumidora enfrentou nos últimos meses com a TIM.

Ela teve seu nome incluído no rol de devedores da empresa, mas nunca reconheceu a dívida.


Com isso, entrou na justiça com o pedido de pagamento por danos morais, além da antecipação dos efeitos da tutela para que seu nome ficasse novamente sem restrições.

Em própria defesa, a TIM explicou que houve uma contratação de serviços nunca quitada pela consumidora. Mas há uma controvérsia na legalidade do débito, segundo a juíza responsável.

VIU ISSO?

–> Claro vai indenizar cliente por ‘desvio produtivo’

–> Ex-presidente da Oi perde processo milionário contra a operadora

–> Internet caiu? Vivo terá que pagar indenização por quedas

A operadora não conseguiu provar a existência de uma solicitação, contato telefônico com o time de vendas, contrato ou até mesmo um comprovante de instalação do serviço em questão.

Portanto, a prática da empresa foi considerada ilícita e abusiva na inscrição de um nome em órgãos restritivos ao crédito. Nesse caso, os danos morais são cabíveis.

“Não somente pela restrição que promove ao crédito, bem como pela mácula que fica perante aqueles que tomam conhecimento da negativação além do sentimento de vergonha, impotência e revolta diante do ato danoso promovido pela empresa”, explicou a juíza.

A TIM terá que indenizar a consumidora em R$ 5 mil.

Com informações de Migalhas/Escritório Engel Advogados

COMPARTILHAR EM:

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários