quarta-feira, 15 de maio de 2019

Oi espera arrecadar R$ 7 bilhões com venda de ativos

Meta da Oi é vender "ativos não essenciais" com o intuito de continuar investindo forte em fibra e 4.5G.

A operadora brasileira Oi está finalizando a revisão de seu plano estratégico que poderia ser revelado ao mercado em meados de junho, segundo o CEO Carlos Brandao. 

Entre as medidas que estão sendo consideradas está a venda de ativos não-centrais, o que poderia arrecadar cerca de R$ 7 bilhões. Os rendimentos poderiam ser utilizados para financiar o novo plano de investimento focado na cobertura FTTH e 4.5 G.


A operadora já contratou o Bank of America Merrill Lynch para esquematizar a logística por trás da venda desses ativos não essenciais. 

Em março começou a circular quais seriam os ativos que a Oi poderia se desfazer. Foi citado a possível venda dos seis mil quilômetros de fibra ótica em São Paulo, cinco data centers espalhados pelo Brasil e um conjunto de 400 torres. Sua operação em Angola, avaliada em US$ 1,1 bilhão. As operações no segmento de telefonia fixa e móvel também foram citadas, porém a probabilidade é menor.

VIU ISSO?


Lembrando que no balanço financeiro financeiro referente ao primeiro trimestre de 2019, ficou confirmado um aumento de 53% no investimento da Oi em fibra e 4G. Esses são os principais segmentos que a companhia está direcionando seus esforços. 

A meta da Oi é investir R$ 7 bilhões em 2019 (no ano passado o investimento foi de R$ 6.1 bilhões) e a mesma quantia em 2020. 

A operadora também planeja se tornar um provedor atacadista usando sua infraestrutura de fibra, inclusive em parcerias com ISPs em certas áreas do país. Suporte para isso é o que não falta, a Oi afirma que tem 363 mil km de fibra


Um comentário:

Ao deixar a sua opinião no Minha Operadora você concorda em respeitar o nosso Código de Conduta.