quarta-feira, 24 de abril de 2019

Oi deve ter mais facilidade para cobrir o Brasil com 5G

Oi levará vantagem no leilão do 5G que será realizado pela Anatel em 2020.


A operadora Oi que ficou de fora do leilão realizado em 2014 para a frequência de 700 Mhz, voltado para aplicações relacionadas à quarta geração móvel, pode, agora, com o leilão para o 5G, obter vantagens sobre os seus concorrentes de peso no mercado brasileiro, Claro, TIM e Vivo. Isso porque somente a Oi poderá arrematar a faixa de 700 MHz para o 5G, no leilão que será realizado pela Anatel em março de 2020. 

Como já foi definido pela Anatel, o 5G no Brasil será baseado em quatro faixas de frequência. Além dos 700 MHz, também entra no processo de licitação 2.3 GHz, 3.5 GHz e 26 GHz. 


Claro, TIM e Vivo não poderão arrematar o restante da faixa de 700 MHz disponível porque as três operadoras já atingiram o máximo de espectro que cada uma pode ter abaixo dos 700 MHz. 

Como a Oi não arrematou parte dessa faixa no leilão de 2014 ela tem agora essa vantagem. Esse mesmo benefício pode ser concedido a uma nova operadora que queira entrar no páreo para ofertar o 5G no Brasil, que, segundo previsões, chegará ao país apenas em 2023. 

VIU ISSO?


Segundo a resolução N° 703 da Anatel, uma operadora não pode ter mais de 35% de todo o espectro das faixas abaixo de 35%. Essa situação pode ser revista? Sim, há a possibilidade de aumentar para 40%, mas depende de uma avaliação da Anatel. 

A limitação para a TIM, Vivo e Claro, varia. Por exemplo, a TIM tem essa limitação em relação ao limite de espectro em Minas Gerais. A Vivo nos estados do Paraná, Santa Catarina, Bahia, Sergipe, Amazonas, Pará, Roraima, Amapá e Maranhão e a Claro em São Paulo e em Minas Gerais.

A Oi tem apenas 5 MHz de capacidade em frequências abaixo de 1 GHz. As únicas regiões em que o limite é excedido é no Rio Grande do Sul, na região Centro-Oeste e parte da região Norte, que são 19 Mhz. O limite para cada operadora é 71,4 MHz.

Com essa vantagem, a Oi pode sair na frente, por exemplo, em termos da cobertura que o 5G pode oferecer. 

Lembrando que as melhores experiências em relação ao 5G acontecem nas ondas milimétricas (mmWave), que no caso do Brasil, a frequência escolhida é de 26 GHz. 


16 comentários:

  1. Não vai fazer diferença nenhuma a Oi arrematar, se nem 3G e 4G funciona, quem dera o 5G.
    Parece até piada.
    Até erminar a rede 5g, o mundo já se acabou...
    Kkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É triste ler isso. Mais triste ainda é ser obrigado a concordar... &;-D

      Excluir
  2. So as outras fazerem refarming no futuro. Enquanto isso os clientes da OI sofrem com 4g manco.

    ResponderExcluir
  3. Matéria tendenciosa, e mal explicada, na verdade como pode se ver as operadoras não pode adqurir mais que 35% das frequências menores que 1GHz ou seja vivo, claro e Tim não pode adquirir frequência de 700mhz até por que você que já tem não vai compra mais né? Mas entretanto as a frequência principal do 5G é a faixa de 26Ghz ou seja as grandes operadora podem participar e comprar as frequências de 2.6, 3.5 e 26 GHz só ficam fora das frequências menor que 700mhz, lembrando que há diferença entre Mega Hertz e Giga Hertz

    ResponderExcluir
  4. Qual a vantagem, não deu para perceber?! Se todas as demais já tem a frequência de 700mhz (não irão se desfazer dela) a Oi terá uma nova chance de adquiri-la (com atraso); a principal e frequência para o 5G são as frequências de 2.6, 3.5 e 26 GHz que em tese ela terá que competir com as demais em leilão... é a pior operadora em questão de cobertura 4G. Vantagem onde?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vantagem que a notícia se refere é em relação a não concorrência da frequência de 700Mhz, ou seja, a Oi poderá comprar essa frequência com um preço bem menor.

      Excluir
    2. Pode até ser, mas a frequência estará em leilão. É pouco provável, mas alguma outra operadora "de fora" pode adquirir.

      Excluir
  5. Os últimos serão os primeiros...
    Aos poucos acredito que a Oi irá crescer e vai melhorar a cobertura 4G.
    Ja aumentaram o numero de cidades com 4G no Centro Oeste e Norte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espera deitado que sentado dói a bunda...

      Excluir
    2. Realmente aqui em Quirinópolis/GO, o 4G da Oi, está sempre disponível e a velocidade sempre acima de 40MBS.

      Excluir
  6. "Segundo a resolução N° 703 da Anatel, uma operadora não pode ter mais de 35% de todo o espectro das faixas abaixo de 35%."

    texto está confuso

    ResponderExcluir
  7. A operadora tem uma conexão péssima.

    ResponderExcluir
  8. Se for depender da Oi cobrir com o 5G, esquece de vez tecnologia
    Nem tem o 4G no Brasil direto, Como vai dar conta do 5G
    É piada, kkkkk.

    ResponderExcluir
  9. Além do Brasil não ser um produtor de tecnologia tudo vem de fora e os planos de internet são tão caros que nem parece ser desse mundo,os preços de tudo no Brasil deveria acompanhar o valor do salário mínimo já que esse país não tá com nada com relação a renda per capita do cidadão

    ResponderExcluir
  10. Os planos de internet no Brasil deveria ser mais acessível pois o salário mínimo no Brasil é uma vergonha e tem muita gente que deixa de comer para pagar valores exorbitantes para contratar planos de internet ou internet pre pago, o Brasil não é um país produtor de tecnologia e tudo que tem no Brasil vem de fora do país

    ResponderExcluir

Ao deixar a sua opinião no Minha Operadora você concorda em respeitar o nosso Código de Conduta.