InícioNotíciasAnatel deve adotar "selo de qualidade" para banda larga

Anatel deve adotar “selo de qualidade” para banda larga

Agência reguladora deve adotar novo regulamento para medir qualidade dos serviços de telecomunicações.


A forma como a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) atesta a qualidade dos serviços relacionados ao setor de telecomunicações será alterado em breve. Há dois anos a agência prepara um novo regulamento para essa finalidade, uma das medidas, atuando sobre a banda larga, é aplicar uma série de parâmetros que irão valer como um “selo de qualidade, similar ao de economia de energia, adotado pelos eletrodomésticos. 


A proposta do novo regulamento deve ser concluída em julho, de acordo com Nilo Pasquali, superintendente de planejamento e regulação da Anatel, que comentou sobre o assunto ao site Telesintese.



Atualmente o relatório de qualidade da Anatel leva em consideração muitos aspectos para a avaliação da banda larga, dentre eles: taxa de reclamações, taxa de reclamações na ANATEL, garantia de velocidade contratada, variação de latência, taxa de perda de pacote.
Com a mudança há uma simplificação do processo, analisando qualidade do serviço prestado será acompanhada pela qualidade do download, da latência, do jitter (que mede o atraso na entrega de dados  em tempo real), e da perda de pacote.

Em substituição às metas a Anatel irá adotar valores de referência, que atuam como essa espécie de selo de qualidade. No novo modelo a opinião do consumidor terá ainda mais importância, já que a pesquisa realizada anualmente terá muito mais peso na confirmação da qualidade dos serviços prestados. Haverá também ciclos de vigilância, uma forma de exigir que as operadoras cumpram e melhorem seus indicadores.

VIU ISSO?


A intenção é substituir as multas – que somam bilhões aplicados, mas poucos milhares recolhidos, porque a maioria é judicializada – por “obrigações de fazer” , explica Pasquali.

Também vale para prestadoras de pequeno porte?
A Anatel não irá obrigar que prestadoras de pequeno porte, isto é, aquelas com menos de um milhão de clientes, sigam a nova regra, porém elas podem, de forma espontânea, realizar as medições e repassar os dados sobre o panorama de seus serviços. “Os pequenos  muitas vezes têm um atendimento melhor e poderão querer participar do processo como uma forma de divulgarem a qualidade de seus serviços”, completa Pasquali. 

William Plazahttps://www.minhaoperadora.com.br
Levamos informação de qualidade sobre o setor de telefonia fixa, móvel, internet banda larga e televisão por assinatura para os milhões de brasileiros que a cada dia estão se conectando cada vez mais.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários