domingo, 11 de novembro de 2018

SKY completa 22 anos; relembre os marcos da companhia

O que você achou? 
Sabia que era preciso gastar quase R$ 1.000 pela antena da SKY? E que a Globo se uniu a Televisa para lançar a Sky no Brasil? Veja mais curiosidades.




1996, ano em que a internet no Brasil começava a ganhar forma, também ficou marcado pela chegada de uma empresa que atualmente é a segunda do país em número de assinantes de TV por assinatura. Estamos falando da SKY, que completa 22 anos neste domingo.

Ao longo de sua trajetória temos o lendário embate com a DirecTV, sua chegada ao mercado da banda larga, e até entraves recentes sobre se a sua operação no Brasil ainda é válida. Confira abaixo alguns marcos desses 22 anos de história da SKY no Brasil.



1996 – Projeto latino



Formada pela britânica British Sky Broadcasting (BSkyB) juntamente com a News Corporation, Liberty Media e o Grupo Televisa, o objetivo da SKY era ingressar o México no segmento de TV por assinatura. Sua fundação por lá é 1º de agosto de 1996.

Praticamente em paralelo, no Brasil, duas gigantes, Abril e Globo, se movimentavam para trazer ao país o serviço de TV por satélite, tecnicamente chamado de DTH (Direct to home).

A primeira a chegar com essa proposta ao Brasil foi a Abril, que administrava a TVA, com a implementação da DirecTV. Além da Abril, o projeto contou com a participação da americana Hughes Comunication, a mexicana Multivision e o conglomerado Cisneros, da Venezuela. Foram investidos US$ 450 milhões no projeto.


Seis meses após esse anúncio, o Grupo Globo, juntamente com a Liberty Media, News Corporation e a Televisa, lançaram a SKY. O investimento era tão significativo quanto da sua concorrente: US$ 445 milhões.


1997 – DirecTV no calcanhar e o "Mosaico" como trunfo

Assim como praticamente todas as tecnologias que hoje se tornaram de fácil acesso, no início elas eram altamente restritas, reservadas a um nicho que poderia desembolsar uma boa grana pelo acesso. A assinatura da TV por satélite não era diferente. Os preços da época eram os seguintes:




Durante o processo de decisão de lançamento do serviço no Brasil a Globo até conversou com a DirecTV para uma possível aliança, conforme explica o livro  TV por assinatura: 20 anos de evolução (2009 / Editora Seta).

No entanto, a parceria não foi adiante. A Globo não confiava que o modelo americano da DirecTV funcionaria no Brasil, e a gigante brasileira também não queria ser apenas uma representante da DirecTV.

Mesmo com o amparo da poderosa Globo a DirecTV estava melhor calçada em termos de tecnologia, a qualidade de imagem era superior e sua cobertura era mais ampla, graças ao satélite GalaxyIIIR, da Hugues Aircraft, garantindo que o serviço pudesse ser oferecido em todo o Brasil.

A SKY, por um questão emergencial, precisou recorrer ao satélite PAS3R, da PanAMSat, que já estava em órbita no Brasil. A cobertura era apenas para a costa do país e para a região Sudeste.

Dentre os recursos que formaram o DNA do modo SKY de TV por assinatura o principal é o Mosaico, um sistema interativo em que o  assinante acessava um canal especifico clicando sob sua logo. 



Em relação aos canais, graças ao envolvimento da Globo, a SKY tinha exclusividade com as opções disponíveis pela Globosat.


1998 - Satélite mais robusto, chegada do SKY Premiere e a liderança do mercado



Em 1998 a SKY passou a utilizar um novo satélite, o PAS-6, desenvolvido com uma tecnologia mais avançada de compreensão de sinal e com maior potência. 

Com o novo satélite a operadora de TV pôde ampliar a oferta de canais, como as opções Pay-Per-View, com a inclusão do SKY Premiere, composto por 18 canais - 16 deles com filmes. No mesmo ano a quantidade de canais SKY Premiere foi dobrada.



Neste ano a SKY também assumiu a liderança do serviço DTH no Brasil, ultrapassando a DirecTV. Essa virada de mesa aconteceu, em grande parte, pela extinção do serviço NETSAT, em antenas parabólicas - banda C, que migraram para a SKY e seu DHT - banda Ku. Estima-se que 69 mil assinantes migraram para a SKY.

2000 - Sky chega em novos países da América Latina


A SKY foi lançada na Argentina (porém suas operações por lá duraram pouco, já que em 2002 foi encerrado) e na Colômbia.

Neste ano o prejuízo líquido da SKY Brasil cresceu 194%, fechando em US$ 50 milhões. No segundo trimestre do ano US$ 18,5 milhões tiveram que ser injetados, sob aporte de capital. 

Sua participação no mercado brasileiro passou de 12,5% para 16,7%. Na época a SKY tinha no Brasil 555 mil clientes.

2001 - SKY passa a oferecer o serviço de "TV interativa"



Neste ano tivemos mais uma grande novidade para os assinantes da SKY, a interatividade. Fernando Bittencourt, diretor-geral de engenharia da Globo, na época deu um exemplo sobre uma das possibilidades do serviço: "O assinante terá a possibilidade de ver um jogo de futebol pelo controle remoto, acessar outras opções de imagem, como tira-teima, melhores momentos, outras câmeras". Um serviço similar já havia sido apresentado pela DirecTV em 2000.



No caso da SKY a interatividade chegou apenas em dezembro de 2001. No início eram 4 canais com recursos interativos: Tempo (previsões meteorológicas), Esotérico (consulta ao horóscopo, tarô, etc), Games (com jogos variados, como Jogos da Memória e Resta Um) e Esportes (tabela dos próximos jogos).

Um ano depois chegou o canal Trânsito (informações sobre o tráfego do Rio de Janeiro e São Paulo) e em 2003 chegou o canal Loterias (resultado dos jogos da Caixa Econômica Federal) e o Guia Hotéis (informações sobre hotéis do país.).

2002 - Globo diminui sua participação na Sky Brasil

Em 2002 a Globo diminuiu sua participação na SKY Brasil, caindo de 54% para 49,9%. O controle passou para os acionistas da News Corporation e Liberty Media. A redução era uma estratégia do grupo Globo em se concentrar na produção de conteúdo.

2003 - Compra pelo controle remoto e Fusão da SKY com DirecTV é concretizada




Neste ano a SKY lançou o T-Commerce, a primeira operação de e-commerce por controle remoto do Brasil.

Esse serviço permitia que o assinante pudesse fazer compras pelo controle, porém o que realmente chamou a atenção foi o interesse  do magnata da mídia, Rupert Murdoch, controlador da SKY, na Hughes, que tinha controle sobre a DirecTV. O acordo foi firmado em abril.

A News Corp, de Murdoch, investiu US$ 6,6 bilhões em 19,9% na Hughes Electronics, que pertencia ao grupo General Motors.

Em 2003 a SKY tinha 730 mil clientes. A DirecTV aparecia em segundo lugar, com cerca de 500 mil clientes.  Nos Estados Unidos a DirecTV era a maior operadora de canais pagos, com 11,3 milhões de assinantes.

A repercussão da fusão caiu como uma grande bomba no Brasil. A NeoTV, associação de TVs a cabo criada em 1999, foi ao CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) para impedir a proibição de contratos de exclusividade de programação. A exclusividade faria com que operadoras independentes ficassem sem conteúdo competitivo para oferecer aos assinantes.

Com a fusão da SKY com a DirecTV, o grupo passou a ser responsável por 94,84% do mercado de TV paga no Brasil.

2004 - Lançamento do SKY+, primeiro DVR para serviço DTH no Brasil





A companhia implantou neste ano o pacote SKY+, que tinha como principal atrativo um sistema de DVR.

O decodificador era equipado com um disco rígido capaz de armazenar, com qualidade digital, até 50 horas de programação.

Com esse recurso o cliente não precisava assistir determinado conteúdo no horário que estava sendo transmitido, ele poderia gravar e assistir depois.

"Esse sistema foi totalmente desenhado no Brasil, é supermoderno e vai revolucionar o modo de ver televisão no País", declarou Rosamélia Girão, diretora de Marketing de Relacionamento da SKY, na época do anúncio.

2005 - Anatel aprova fusão com a DirecTV


A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) aprovou o processo de fusão da SKY com a DirecTV, que teve início em 2003.

Com a fusão o grupo de Murdock passou a ser responsável por 95% do mercado de TV por assinatura no Brasil


2007 - Sky começa a investir em outros tipos de produtos


Devido ao acordo com as teles Brasil Telecom e Telemar a SKY passou a investir em pacotes de serviço. Além da TV por assinatura, clientes das cidades do Rio de Janeiro, Niterói, Campo Grande e Brasília, poderiam assinar pacotes com internet banda larga, telefonia fixa e móvel.

2008 - Sky lança TV por assinatura pré-paga e compra a Mais TV.


Para aqueles que não queriam ficar "amarrados" a mensalidade a SKY lançou neste ano um serviço pré-pago, permitindo que créditos fossem adicionados para que os canais ficassem liberados.

Havia três opções de crédito: 7 dias (R$ 19,90) e 15 dias (R$ 29,90) e 30 dias (R$ 49,90). O cliente também tinha que adquirir a antena, decodificador e o controle remoto. O kit dos equipamentos custava R$ 299.

Neste mesmo ano a SKY oficializou a compra da Mais TV, operadora de TV por assinatura que atuava com a tecnologia MMDS (por microondas).

2009 - Viva a alta definição! SKY HDTV entra em ação



Em 2009 a gigante da TV por assinatura anunciou seu novo posicionamento de marca, que coroa a entrada na era dos pacotes em alta definição.

O serviço, chamado SKY HDTV, incluiu inicialmente 10 canais em alta definição: Fox HD, National Geographic HD, Discovery Theater HD, TNT HD, MGM HD, HBO Prime HD, HBO Full HD, Space HD, Voom HD e o pornô Sex Zone HD.

Uma grande crítica feita na época era que os canais abertos, como SBT, Globo e Band, não estavam em alta definição na SKY, enquanto na NET e Telefônica a possibilidade era oferecida.

Os dois pacotes SKY HDTV lançados na época eram os seguintes: um que custava R$ 230 menais e outro de R$ 253,90, com os canais HBO.

A divulgação do serviço também vale nota. A SKY escolheu como porta-voz do serviço a modelo Gisele Bundchen. O slogan também colou: HDTV é isso.

2010 - VOD, expansão dos canais em HD e Globo diminui ainda mais sua participação



Em 2010 nasceu o serviço SKY On Demand, serviço de vídeo on demand (VOD), exclusivo para assinantes com o equipamento SKY HDTV. No acervo, filmes, shows e eventos.

Os conteúdos podiam ser adquiridos e ficavam armazenados no decodificador para que o cliente pudesse assistir quantas vezes quisesse.

Neste mesmo ano, 26 canais em HD foram adicionados. Ao todo, a SKY passou a ter 36 canais em alta definição.

A Globo, que já havia vendido em 2002 parte da sua participação na empresa voltou a se envolver em uma negociação desse tipo em 2010. O grupo Globo vendeu por US$ 604,8 milhões 18,9%, ficando com apenas 7%.

VIU ISSO?



2011 - Primeira banda larga 4G e o serviço SKY Online são lançados



No fim de 2011, em parceria com a Nokia Siemens, a SKY lançou em Brasília a primeira banda larga 4G da América. Houve também o anúncio do  SKY Online, serviço on-line de locação e compra de vídeos e áudio sob demanda.


2012 - Polêmica em torno do número de assinantes

Uma irregularidade foi confirmada pela companhia neste ano: o número de clientes no Brasil em 2012 e 2013 foi inflado. Com base em uma investigação interna foi descoberto que mais de 200 mil clientes "fantasmas" foram incluídos na conta. 

2013 - Planos para um novo satélite

Em 2013 a participação da TV por satélite (DTH) detinha 62% da base de assinantes, contra 37,6% da TV a Cabo. Para continuar crescendo no mercado a SKY anunciou uma parceria com a Astrium para o lançamento de um novo satélite, o Intelsat 32, permitindo que ainda mais canais fossem agregados.


2014 - Seguindo as regras da AT&T


Em maio, por US$ 45,5 bilhões, a poderosa operadora americana AT&T, adquiriu a DirectTV, assumindo também, com autorização da Anatel, a divisão da América Latina, responsável pelo controle da SKY.




2017 - Novo satélite e investimento assombroso


O grande marco da SKY em 2017 foi o lançamento do seu novo satélite, o SKY Brasil-1 (também conhecido como Intelsat 32).

Foram investidos impressionantes R$ 1.3 bilhão - valor dividido entre o satélite e o centro de transmissão.

O lançamento do satélite foi feito na cidade de Kouru, na Guiana Francesa. A fabricação ficou a cargo da Airbus Defense & Space. Ele é capaz de operar com até 60 transponders (em 1996 a SKY utilizava apenas 4 transponders).

2018 - Futuro incerto no Brasil e um novo serviço VOD

O controle da SKY para as mãos da AT&T, que completou a aquisição da Time Warner, terceiro maior conglomerado do ramo do entretenimento, acendeu uma questão importante: sua operação no Brasil ainda é permitida?


A situação esbarra no artigo 5 da Lei do SeAC (Lei 12.485/2011), que impede que empresas de telecomunicações controlem criadoras de conteúdo e vice-versa. A Time Warner é responsável, por exemplo, pelos canais HBO, Warner Bros, CNN e Cartoon Network.

A Anatel já se posicionou contrária a fusão, inclusive um dos grandes pontos da administração do novo presidente da agência reguladora, Leonardo Euler, será prosseguir com essa discussão sobre a fusão que interfere no modo da SKY operar no Brasil.

O serviço que a SKY vem divulgando no momento, é a sua nova plataforma de vídeo sob demanda (VOD), o Sky Play, disponível para os clientes que utilizam DVR. O fundamento é o mesmo do antigo Sky on Demand: conteúdo que pode ser comprado e que fica disponível para que o cliente possa reassistir quando quiser.
...

Vimos nessa retrospectiva de fatos importantes sobre os 22 anos da SKY o quanto a companhia foi importante para moldar o caminho da TV paga no Brasil.

Atualmente, com todo esse imbróglio da sua permanência no Brasil, com seu serviço "raiz", a TV por assinatura, a SKY ocupa o segundo lugar do mercado nacional, com 28% de quota de mercado e mais de 5 milhões de clientes.


23 comentários:

  1. Como perderam uma liderança de 95% para a Claro ?

    ResponderExcluir
  2. Como perderam a liderança para Oi TV.

    ResponderExcluir
  3. ...tem que..deixar claro que hj a NET e lider...com 10 milhoes...porq junta ClaroTv..Net..e Embratel...e a SKY com 5.3 milhoes...so ela e a DirecTv

    ResponderExcluir
  4. vou fazer 6 ano com a sky pra mim e a melhor tv por assinatura!

    ResponderExcluir
  5. Sou cliente da SKY desde de 2012 e gosto muito porém muitas coisas deveriam melhorar como o atendimento,a programação,colocar a imagem de todos os canais em HD e diminuir a tarifa tirando isso é uma boa TV por Assinatura.

    ResponderExcluir
  6. Eu sou do tempo do início da compra do aparelho 1ooo reais e comodato melhor som som,imagem só a directv mas com a fusão com Sky migrei pra ela parabéns Sky muitos anos de vida !

    ResponderExcluir
  7. Tentei ser cliente SKY. Não me aceitaram. Moro em casa alugada. E o proprietário anterior no meu endereço deu calote na Sky. E o meu endereço ficou proibido de novas assinaturas Sky. Incrível. Fui penalizado por um estelionato que EU NÃO COMETI. Cliente CLARO TV DESDE 2010. QUEM perdeu foi a Sky. Cliente fiel e bom pagador. Eu não perdi nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos liga 0800 999 5555 eles resolvem isso pra vc desbloqueado seu endereço

      Excluir
  8. Sky, claro e oi TV só se estiver distante dos grandes centros , sinceramente pagar pra assistir os mesmos filmes . E se quiser os pacotes HD , vai pagar mais caro ainda . O futuro da sky, oi e claro vai ser feito a máquina de datilografia, serviço de taxi e etc...

    ResponderExcluir
  9. Eu sempre tive Sky nunca mi deixou na mao
    meus parabéns Sky pelos seus 22 anos.

    ResponderExcluir
  10. Lembro do final do ano de 1996 em que tive que me decidir pela SKY ou pela DirecTV.
    Foi pela exclusividade da SKY com o futebol e os canais Globosat que decidi por ela.
    Eram pouquíssimos canais mas a qualidade de programação era muito melhor.
    No início das operações ficou claro que a SKY tinha mais a oferecer pela sua exclusividade.
    Três anos após seus lançamentos, em 1999, a DirecTV estava estagnada em 400 mil assinantes, os assinantes que deixavam a base (e mudavam para a SKY) eram muitos e os novos eram poucos.
    Depois disso sabemos o que aconteceu, com programação mais ao gosto dos brasileiros a SKY em pouco tempo ultrapassou a barreira do 1 milhao de assinaturas e a DirecTV continuava com a base estagnada.
    Nesse período o Grupo Abril começou a ter prejuízos enormes pois a DirecTV não se pagou.

    ResponderExcluir
  11. O motivo de perde muitos clientes, com certeza está nos altos preços cobrado pela SKY. Desde de 2011 sou cliente da SKY, mas só contínuo sendo, por que divido com algumas pessoas, assim podemos ter o melhor pacote e cada pessoa paga um valor baixo. Mas o contrário não teria, os valores cobrados são muito alto, a SKY é conhecida por ser uma operadora careira.

    ResponderExcluir
  12. Tenho assinatura da Sky desde 2004, nunca tive nenhum problema. Parabéns, Sky!

    ResponderExcluir
  13. Tenho a três anos a tal da antena gato não vou fazer propagandas mas em três anos gastei 150 com atualizações hj em dia fazendo contas teria gastado em média mas de 5.000 mil reais estou de boa dessas operadoras que cobram absurdos pra passar tudo repetido vlw...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. parabéns para você. Vamos cobrar dos governantes, mas vamos fazer exatamente o que eles fazem. Porque o serviço ser caro realmente justifica eu roubar o sinal da operadora.

      Excluir
  14. Sou desde 2002 DirecTV fui obrigado migrar para sky

    ResponderExcluir
  15. E boa mas peca muito na transmissão do grade repetida e o atendimento é pessimo

    ResponderExcluir
  16. Se não me engano o equipamento custava no seu início r$1.999 pelo shoppingtime e parece que até hoje o Leaut da tela não mudou quase nada além do preço da mensalidade estrastoferico sou mais oi TV

    ResponderExcluir
  17. A Sky não vale nada e uma empresa de TV por assinatura que leza os clientes roubar na cara de pau só vai na justiça

    ResponderExcluir
  18. Sou cliente à 9anos e espero a sky melhorar cada vez mais parabéns à todos dá sky

    ResponderExcluir
  19. Sou cliente da SKY a 11 anos já tive problema com a SKY em termos de programação e a melhor som .Imagem hoje tenho duas assinaturas da SKY

    ResponderExcluir
  20. Meu sonho em 1997 era ter um directv ,HBO ,vários canais de documentários,só que o valor para comprar a antena era muito alto mesmo,acabei nunca sendo assinante de nenhuma das operadoras ,fui só assinante da tv a ,Mais lembro com nostalgia ,tinha menos canais ,Mais a qualidade do seu conteúdo era melhor,TV a cabo hoje e um monte de canais que só passam intervalo e filmes repetidos.

    ResponderExcluir
  21. Fui assinante da SKY por treze anos e migrei para a NET e não me arrependo, serviço impecável e o serviço quadriplay (TV+INTERNET DE ALTA VELOCIDADE + TELEFONE FIXO + TELEFONE MÓVEL), que para mim é essencial.

    ResponderExcluir

Ao deixar a sua opinião no Minha Operadora você concorda em respeitar o nosso Código de Conduta.