sábado, 24 de novembro de 2018

Média de velocidade da rede 4G no Brasil é maior que a do WiFi

O que você achou? 
Dado foi levantado pelo Opensignal que comparou as redes móveis com o WiFi de cerca de 80 países.


Parece difícil acreditar, mas a média de velocidade do 4G no Brasil consegue ser maior que a média de velocidade do WiFi, segundo um estudo da consultoria Opensignal.

Quando se inclui, no entanto, a média de todas as redes juntas (2G, 3G e 4G), os acessos são mais lentos que os da rede fixa. 

Existem diversas razões pelas quais no Brasil a experiência do 4G é mais rápida, entre elas a facilidade. É mais barato para o consumidor pagar por uma conexão móvel do que por uma internet fixa. 

Outro motivo, segundo o Opensignal, é que para as operadoras também é mais barato lançar celulares mais rápidos e melhorar backhaul site da célula do que é para executar fibra a cada premissa para permitir acesso à Internet Wi-Fi mais rápido. 

Colocar novas fibras geralmente requer planejamento especial, permissão e uma quantidade significativa de trabalho para colocá-las em dutos ou postes existentes. Isso quando não requer uma nova escavação. 

A banda larga também tem sido uma prioridade menor para as operadoras, que têm investido fortemente em levar acesso móvel cada vez mais rápido às cidades. Um exemplo é o 4,5G.

Uma prova disso é que a velocidade média de download de celular no Brasil aumentou em 26,8% em relação à 2017,  conforme último relatório do Speedtest.

A Opensignal afirma, ainda, que os fabricantes de smartphones têm preferido focar o desenvolvimento dos modems para redes móveis, em detrimento dos modems WiFi. 

O resultado são smartphones capazes de se conectar com maior velocidade nas redes celulares do que nas fixas. 

Resultados Globais


Em 33 dos 80 países analisados, um percentual de 41% dos países, os usuários de smartphones experimentam velocidades médias de download mais rápidas



Levando-se em consideração apenas a rede LTE (4G) e descantando as redes 2G e 3G, o percentual de países que oferecem aos usuários de smartphones velocidades de download mais rápidas no celular do que no WiFi aumenta para 63%.  



VIU ISSO?



A quantidade de países onde os dispositivos móveis são mais rápidos variam muito em relação aos países mais ricos como a Austrália, onde o benefício de usar o celular foi maior

Na Austrália, os usuários de smartphones experimentaram velocidades médias de download 13 Mbps mais rápido no celular de Wi-Fi.

Na França, o celular é +2,5 Mbps mais rápido do que o WiFi. No Catar esse número é de +11,8 Mbps. Já na Turquia as redes móveis são + 7,3 Mbps mais rápidas que as redes fixas. No México, +1,5 Mbps, e na África do Sul, +5,7 Mbps.

Em três geografias altamente desenvolvidas - Hong Kong, Cingapura e EUAa experiência móvel apresenta um desempenho significativamente inferior ao do WiFi. Assim, os usuários de smartphones contam com uma experiência móvel mais lenta de -38,6 Mbps, -34 Mbps e -25 Mbps respectivamente.

O tempo que os smartphones gastam conectados ao WiFi não tem correlação significativa com usuários que experimentam velocidades WiFi mais rápidas em relação àquelas em dispositivos móveis.

Isso acontece porque smartphones se conectarão automaticamente a redes Wi-Fi conhecidas sem incluir velocidade como um fator em sua decisão.

Em se tratando do 3G, apenas sete países viram uma experiência mais rápida. Mas mesmo nesses países, a vantagem de velocidade de uma experiência móvel 3G foi modesta. A melhor situação foi a do Líbano, com um aumento de 3Mbps.

O 5G irá acelerar a vantagem da tecnologia móvel por causa do ritmo de inovação móvel e da dependência de experiências de rede Wi-Fi na qualidade de implementações de banda larga de rede fixa que são lentas e caras para atualizar com fibra para a premissa (FTTP).

Operadoras móveis e fabricantes de smartphones devem reavaliar suas estratégias de WiFi, especialmente em torno de descarga móvel, seleção de rede automática e cobertura interna, para garantir que eles não empurrem acidentalmente os smartphones dos consumidores para uma rede de WiFi com uma experiência pior do que a rede móvel.

A Opensignal identificou ainda que quanto maior o PIB de um país, maior a tendência de seus habitantes usarem mais o WiFi, ainda que a rede LTE seja mais rápida. O motivo seria a disponibilidade maior de infraestrutura fixa nos países mais ricos.

A consultoria coletou dados de 63,2 bilhões de interações móveis, entre 5 de agosto e 3 de novembro. As informações vieram de 7,7 milhões de aparelho que usam aplicativos Opensignal. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao deixar a sua opinião no Minha Operadora você concorda em respeitar o nosso Código de Conduta.