quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Anatel debate sobre utilização do 5G em evento de Certificação

O que você achou? 
Agência destaca que, com a chegada das novas tecnologias, é importante manter a qualidade dos serviços e produtos.


A tecnologia 5G, a Internet das Coisas (IoT) e a importância da certificação de produtos de telecomunicações foram temas abordados no 22º Fórum de Certificação para Produtos de Telecomunicações, realizado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), na última terça-feira (02), em Campinas (SP).

Para o presidente do CPqD, Sebastião Sahão, com a chegada das novas tecnologias, é importante manter a qualidade dos serviços. Por isso, a necessidade da certificação dos produtos. 

O superintendente de Outorgas da Anatel, Vitor Elisio, explicou que estamos na era da indústria 4.0 composta por sistemas cibernéticos, internet das coisas, redes e inteligência artificial.  

A estimativa é que até 2025 existam 1,3 bilhão de conexões 5G pelo mundo. Desse total, 268 milhões serão de conexões 5G na região das Américas. 

Com isso, serão gerados 2,4 milhões de novos empregos, sendo necessários $ 114 bilhões de investimento público. A previsão é que até 2030 existam 1 trilhão de dispositivos conectados.

O superintendente citou alguns exemplos nos quais a tecnologia irá mudar a realidade das pessoas.

Entre os exemplos está o uso das redes 5G para que trabalhadores controlem equipamentos como guindastes e escavadeiras remotamente, tornando os locais de obras mais seguros.

A tecnologia de quinta geração também vai permitir carros autônomos mais seguros, uma vez que irão se comunicar uns com os outros em tempo real e evitar perigos ou obstruções em milissegundos.

Cirurgiões poderão realizar cirurgias de forma remota a partir de braços robóticos em situações de emergência onde eles não podem estar presentes fisicamente.

No mês passado, a Vivo, em parceria com a Ericsson, realizou uma demonstração da utilização da tecnologia 5G no treinamento de um cirurgião à distância.

LEIA TAMBÉM:



Vitor também falou sobre o crescimento do acesso à banda larga fixa no mundo. Segundo ele, o Brasil se encontra em 7º lugar, com 27 milhões de acessos, que corresponde a 2,91% do mercado global.

No Brasil, de julho para agosto, a banda larga fixa ganhou 32 mil novos assinantes.

Certificação


O presidente da Anatel, Juarez Quadros, afirmou que mais de 60 mil produtos foram homologados no Brasil nos últimos 18 anos, por meio de 14 organismos de certificação designados e 43 laboratórios de ensaio. 

Somente em 2018, a Anatel emitiu mais de 5.474 certificados de homologação, o que corresponde a mais de 7.300 produtos homologados.

O presidente da agência ressaltou sobre a necessidade de uma ação preventiva sobre a certificação. 

Ele ainda destacou o trabalho realizado em conjunto com a Receita Federal e a Polícia Federal contra o uso de equipamentos sem certificação.

Na operação realizada em Goiás e no Distrito Federal, foram bloqueados 243 mil celulares “piratas”

Para Quadros, a certificação traz proteção ao consumidor já que esses equipamentos passaram por testes de segurança que garantem a qualidade desses produtos.

Além da atualização do regulamento para certificação e homologação de produtos para telecomunicações, a Anatel vem trabalhando com a produção de requisitos técnicos sempre que uma nova tecnologia necessita ser implantada no Brasil.



Nenhum comentário:

Postar um comentário