quarta-feira, 5 de setembro de 2018

4G cresce 44% em julho, com expansão em 1,2 mil cidades

O que você achou? 
Segundo a Telebrasil, rede de quarta geração está presente em 4.122 municípios e 120,6 milhões de chips, representados por 94,4% da população.

Segundo o balanço de julho divulgado pela Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil), a cobertura 4G no Brasil cresceu 44% no último ano. Elas estão presentes em 4.122 municípios, onde moram 94,4% da população brasileira.

No período de 12 meses, de julho de 2017 a julho de 2018, foram 1.271 novos municípios que receberam as redes de 4G. Já o 3G alcançou, como um todo, 5.301 cidades, passando a representar 99,3% da população.


O balanço também mostra que, no período de um ano, 36 milhões de novos chips 4G foram ativados. Ao todo, são 120,6 milhões de chips 4G e 67,3 milhões de clips no 3G. O Brasil tem, atualmente, 207 milhões de acessos à internet pela rede móvel.

Se considerarmos os acessos fixos e móveis, os dados de julho mostram um total de 238 milhões de acessos no país, sendo 30,5 milhões em banda larga fixa, com 2,6 milhões de novos acessos (+9,5%) no último ano.

LEIA TAMBÉM:

Além da expansão na cobertura da rede móvel, a Telebrasil informa, com base em dados da consultoria Teleco, que os preços no Brasil estão entre os mais baratos do mundo – em quarto lugar. Na internet dentro do pré-pago, fica atrás de Índia, China e Rússia.

Segundo a pesquisa PNAD, do IBGE, 96% dos internautas brasileiros usam o celular e consultam seus aparelhos 78 vezes por dia, um dado que também mostra o intenso uso do aparelho no país.

Hoje, a cobertura das redes 4G é quase quatro vezes superior à última obrigação estabelecida nos leilões das licenças de serviços móveis, mas que ficou estabelecida em 1.079 municípios. 


Para a Telebrasil, o avanço maior exige o uso de recursos dos fundos setoriais e a atualização na regulação do setor, que permitam que os investimentos no país também sejam feitos em banda larga, e não mais em telefonia fixa, como há a obrigação na lei atual.


Nenhum comentário:

Postar um comentário