quinta-feira, 5 de abril de 2018

Mesmo após determinação, orelhões não realizam ligações grátis

O que você achou? 
Oi diz que está com programação para configurar todos os telefones públicos para realizar as chamadas gratuitamente e atender à exigência da Anatel.

Apesar da determinação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para que as chamadas originadas de orelhões da prestadora Oi sejam realizadas gratuitamente em 12 estados, alguns usuários não estão conseguindo realizar as ligações.

Segundo a Anatel, desde o último domingo (01), a operadora deveria estar concedendo a gratuidade das chamadas nas modalidades local, longa distância e Fixo-Móvel.

Contudo, a Oi justifica que, tecnicamente, há uma programação para que a configuração dos orelhões seja realizada e a companhia possa atender a determinação da agência. 

Ao todo são 12 estados beneficiados: Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Roraima.

Caso o usuário tente fazer uma ligação gratuita e não consiga, a Anatel pede para que o consumidor solicite a correção do aparelho junto a operadora, em seus canais de atendimento. 

Se a empresa não corrigir o problema, o usuário poderá registrar a ocorrência junto à Anatel, por meio do serviço Fale Conosco (telefone 1331 ou 1332 para pessoas com deficiência auditiva), ou pelo Portal do Consumidor

Ao fazer a reclamação, é preciso ter em mãos o número de protocolo registrado na operadora quando foi realizado a queixa com ela.

A operadora está sujeita a diversas punições, caso descumpra a determinação. Entre as sanções estão advertência, multa e suspensão temporária. 

LEIA TAMBÉM:


Como ligar de graça pelo orelhão?

Para ligar para um telefone fixo local, basta teclar o número da pessoa diretamente. Para o fixo de outro estado, é preciso teclar o zero, o código da operadora (no caso da Oi é o 31), mais o código da região e o número do telefone. 

É preciso ficar atento para colocar o 31 como código da operadora. Caso contrário, a ligação não será efetuada. 

Também é preciso observar se o orelhão é da Oi e se o estado onde o orelhão está situado entra na determinação. Apenas com essas condições a ligação será feita gratuitamente. 

Difícil só vai ser encontrar um orelhão que funcione. No estado de Pernambuco, por exemplo, a Oi relatou que mensalmente 8,5% dos telefones públicos instalados sofrem vandalismo. 

“Os principais problemas decorrentes do vandalismo são: defeitos em leitora de cartões, em monofones e teclado, além das pichações e colagem indevida de propagandas nos aparelhos e nas folhas de instrução de uso”, explicou a operadora, em nota.

A empresa contou que, em alguns casos, os aparelhos são danificados no mesmo dia em que as equipes realizam o conserto e a limpeza.



Um comentário:

  1. Boa Tarde !

    As Teles abandonam orelhões.

    Escasses de oferta de cartões ao preço estipulado pela ANATEL, dificuldade em comunicar defeitos, grande número de orelhões mudos ou com algum defeito, explicam o baixo uso dos telefones de utilidade pública - orelhões.

    ResponderExcluir

Ao deixar a sua opinião no Minha Operadora você concorda em respeitar o nosso Código de Conduta.