terça-feira, 23 de janeiro de 2018

A pedidos, operadoras bloquearam 1,6 milhão de celulares em 2017

Número total de IMEIs bloqueados no ano passado, seja por roubo, furto ou extravio, foi de 9,3 milhões.

Em 2017, 1,6 milhão de pessoas pediram o bloqueio no acesso de seus celulares às operadoras. Por trás do número divulgado pela Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil), as solicitações envolvem roubos, furtos e extravios.

Desde 2000, o CEMI (Cadastro de Estações Móveis Impedidas) funciona como um banco de dados das operadoras de telefonia móvel, que bloqueia o acesso de aparelhos roubados a partir de seu IMEI (código de identificação do celular). Somente em 2017, foram registrados 9,3 milhões de bloqueios no total.



Apesar de continuar funcionando com redes Wi-Fi, a partir que seu IMEI é bloqueado, o celular deixa de permitir ligações ou a comunicação através do pacote de dados móveis de operadoras em todo o Brasil, e também de mais 57 empresas em 19 países. Foi em 2016 que essa parceria com operadoras do exterior começou, com o intuito de desestimular o tráfico internacional de celulares roubados.

Conforme é possível ver no gráfico abaixo da Telebrasil, o número de bloqueios acompanha o crescimento de celulares no país. Desde dezembro de 2013, o aumento percentual nos bloqueios através do CEMI tem ficado em torno de 19% a 24%. 

Apenas de 2010 para 2011 e 2011 para 2012 que o número de bloqueios aumentou consideravelmente: 46% e 78,9%, respectivamente. De 2016 para 2017, o aumento foi de 20,7%. 



COMO PEDIR O BLOQUEIO DO CELULAR?

Caso tenha perdido o celular ou sido roubado, o cliente deve entrar em contato com a sua operadora e informar dados pessoais, como RG, CPF, endereço e IMEI, quando souber. Afinal, o número é como se fosse o chassi de um carro, que identifica o objeto de forma individualizada. 

Dica: Aproveite hoje mesmo e digite no teclado do aparelho *#06#; anote o número que aparece na tela do seu celular, pois este é o seu IMEI!

Se preferir, ao invés de pedir o bloqueio no call center da operadora, o cliente também pode fazer a solicitação diretamente com autoridades policiais. E caso queira descobrir se um aparelho está registrado no CEMI, as operadoras disponibilizam o site www.consultaaparelhoimpedido.com.br para consulta.

FALHA NA FABRICAÇÃO DO CELULAR

A Telebrasil aproveita a divulgação dos dados para defender medidas de segurança que possam combater o mercado irregular de aparelhos celulares desde o processo de fabricação. 

“O setor defende que sejam adotadas medidas como o reforço da segurança dos aparelhos, no processo de fabricação, para evitar que sejam adulterados ou tenham o seu código de identificação (IMEI) modificado ou clonado”, afirma em comunicado, esclarecendo que essa é uma falha que só pode ser corrigida na origem, com mecanismos de segurança que impeçam a adulteração.

LEIA TAMBÉM:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao deixar a sua opinião no Minha Operadora você concorda em respeitar o nosso Código de Conduta.