Banda larga em voos deve movimentar US$ 130 bilhões até 2035

Segundo estudo, o crescimento do comércio eletrônico e publicidade deve fazer as companhias aéreas gerarem altas receitas com o uso da banda larga.

De acordo com a pesquisa da Escola de Economia e Ciências Políticas de Londres (LSE, sigla em inglês) e da Immarsat, fornecedora global de internet móvel, o uso da banda larga em voos pode gerar um mercado de até US$ 130 bilhões em até 20 anos, gerando em média uma receita de US$ 1,9 bilhão para as companhias aéreas da América Latina. 

O estudo se baseia em dados atuais da indústria. A previsão é que os rendimentos complementares por conta do uso da banda larga em voos faça as empresas aéreas terem novas fontes de receita como: cobrança aos usuários para o uso da banda larga em voos, comércio eletrônico em aeronaves, publicidade e conteúdo premium. 

Seguindo a tendência do uso de internet a bordo, a expectativa é que a banda larga em voos seja amplamente difundida até 2035. Segundo a pesquisa, apenas 53 de 5 mil companhias aéreas em todo mundo oferecem conexão com banda larga a bordo. A estimativa é que o serviço gera um adicional de US$ 17 para as companhias aéreas e deve ter um aumento de US$ 4 por passageiro até 2035. Com informações do Computer World. 

LEIA TAMBÉM:


No UOL Play você encontra filmes, séries, desenhos, shows e esportes ao vivo. Além disso, alugue os títulos que acabaram de sair do cinema. Clique e experimente por 7 dias grátis!

COMPARTILHAR EM:

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários