Presidente da Oi diz que intervenção da Anatel está mais provável

Marco Schroeder admitiu que empresa precisa de solução rápida e que uma intervenção da Anatel é cada vez mais provável.
Marco Schroeder assumiu a presidência executiva da Oi em meio ao turbilhão de obstáculos gerando pelo maior processo de recuperação judicial já visto no Brasil. A dívida chegou a R$ 63 bilhões e a empresa de telecomunicações entrou com pedido de recuperação judicial no dia 20 de junho de 2016, há um ano, para tentar evitar a falência. Isso aconteceu 10 dias depois de Schroeder assumir a presidência da empresa.

Nesse ano que passou, a Oi veio tentando manter a normalidade em sua operação e evitar uma intervenção do governo, mas o próprio presidente admite que o impasse com os credores da empresa, que impede o fechamento de um plano de recuperação, torna cada dia mais provável a intervenção da Anatel na companhia.

Para Schroeder, uma empresa do tamanho da Oi não pode correr riscos de continuidade e prevê que se a qualidade dos serviços da operadora começarem a cair bruscamente, a Anatel deve intervir para manter a estrutura da empresa, que é de suma importância no setor de telecomunicações do Brasil.

A Oi avalia a possibilidade uma capitalização de recursos privados no valor de R$ 8 bilhões para salvar a empresa. Schroeder ressaltou que o endividamento da telefônica se deve a alguns fatores, como a antiga legislação de telecomunicações no Brasil e de negócios arriscados, como a compra da Brasil Telecom.

LEIA TAMBÉM:


About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários