Denúncia: Provedores atormentam novos clientes de internet da Oi

Grandes empresas de internet tem tentado a todo custo vender serviços que não são mais obrigatórios para o consumidor. Ouça gravações que comprovam as mentiras que são contadas, e as ameaças que são feitas durante ligações insistentes e bem arquitetadas.



Está crescendo o número de reclamações de consumidores que assinam o Oi Velox, serviço de banda larga fixa da Oi, e são atormentados com ligações constantes de provedores oferecendo os seus serviços. Antes mesmo da linha da Oi ser instalada as ligações já tem início.

Segundo apurado pelo Minha Operadora, a empresa mais insistente é a UOL. Além de irritar os futuros clientes do Oi Velox com várias ligações, os seus atendentes – pressionados por comissões e pressão para vender seu produto – acabam contando histórias falsas afim de tentar convencer o usuário a contratar um de seus planos, que tem preços que variam de R$ 13,90 a R$ 49,90 por mês. O cliente Eduardo Sobral conta que, durante as chamadas, os operadores do UOL se passam por operadores da Oi e dizem que o provedor do Oi Velox está passando por uma manutenção demorada, e que a aquisição de um outro provedor é necessária para a autenticação e liberação da internet. Segundo o operador, caso a assinatura não seja efetuada naquele momento, o pedido será cancelado.

Dados pessoais como número de cartão de crédito ou conta bancária são solicitados para a cobrança do valor do provedor. Necessitados de uma banda larga, e com medo de perder a instalação da internet, muitos usuários acabam optando por realizar a contratação desse serviço, depois de ser fortemente coagidos a fazer isso.

No entanto, nem sempre isso acontece! Muitas pessoas desistem de contratar o serviço da Oi, e quando o técnico vai instalar a internet, encontra aquele possível cliente irritado e insatisfeito. A Célula de Recuperação de Vendas (CRV) da operadora está recebendo muitos chamados de técnicos que foram realizar a visita de instalação e acabaram sendo proibidos de concluírem seus trabalhos. Ao tentar contato com o cliente para entender o motivo de não estar mais querendo a internet, um desabafo é ouvido pelo atendente: “não quero mais o serviço de vocês! Eu nunca fui tão incomodado em toda a minha vida. Chega, cansei!”.

Os atendentes originais da Oi sempre tentam reverter a situação, dizendo que esse não é um procedimento da operadora, que já conta com seu próprio provedor. Até reforçam para os consumidores não passarem seus dados bancários para esses provedores. Mas às vezes o argumento não convence. Uma das futuras clientes da Oi, Terezinha Marques diz que, quando uma das dezenas de operadoras que entraram em contato com ela percebeu que não ia conseguir convence-la a realizar a assinatura do serviço, até a xingou. Ao ficar em silêncio, a cliente ouviu um sonoro “Essa vaca desligou”.

Tivemos acesso a várias gravações que mostram como agem esses supostos atendentes que tentam empurrar goela abaixo do consumidor os seus serviços. Clique em qualquer lugar de cada player e ouça com atenção:

Mais uma gravação:



Apesar de todo o esquema de vendas ilícito praticado por provedores como UOL e Terra, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), aboliu desde maio de 2013 a necessidade de contratação de provedor terceirizado para todas as operadoras com mais de 50 mil clientes. Isso quer dizer que grandes empresas como Oi Velox, Vivo Speedy, GVT e NET, devem oferecer os seus próprios provedores gratuitos. O usuário até pode optar por contratar um provedor de terceiros – por vantagens como antivírus, backup e outras tantas coisas inventadas para tentar captar consumidores – mas nunca ser obrigado a pagar por ele para conseguir acessar a rede mundial de computadores.

Solicitamos mais informações ao provedor UOL sobre a prática desse tipo de venda. O que a empresa vem fazendo para não irritar esses consumidores? Qual a estratégia comercial da empresa para vender seus produtos? São perguntas que, infelizmente, ficaram sem resposta.

Já para a Oi, perguntamos se eles tem conhecimento sobre esse tipo de venda da UOL, e o que a companhia telefônica vem fazendo para não irritar esses seus futuros clientes. Solicitamos ainda a resposta para uma pergunta que se impõe: “Como a UOL e outros provedores conseguem os contatos de pessoas que acabaram de assinar uma internet banda larga da Oi? As informações são vazadas?”. Segue o posicionamento da operadora:


“A Oi informa que a contratação de um provedor de acesso, gratuito ou pago, é de exclusiva escolha do cliente. A companhia assegura que não adota nem autoriza terceiros a realizar nenhum tipo de abordagem junto aos seus clientes de banda larga com intuito de direcionar a escolha da contratação de provedores de acesso pagos, sob eventual argumento de que referida escolha melhoraria de alguma forma a prestação do serviço, até porque tal alegação não procede. A empresa acrescenta, ainda, que essa contratação não é obrigatória, apesar de ter sido imposição regulatória até recentemente. Assim, eventuais contatos telefônicos realizados diretamente por terceiros, especialmente provedores, junto aos usuários não têm nenhum tipo de participação e/ou vínculo com a Oi, bem como nenhuma correlação com o serviço de banda larga da Oi.”


[ATUALIZAÇÃO EM 07/07/2015 ÀS 18H41 PARA ADICIONAR POSICIONAMENTO DA OI]


Leia também:
About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
33 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários