Operadoras vão alertar internauta que acessar conteúdo pirata

As cinco maiores operadoras de internet dos Estados Unidos, bem como os amigos das produtoras de filme e de música, devem iniciar nesta semana o que ficou conhecido como Sistema de Alerta de Copyright. Assinantes de internet serão notificados em seis etapas sobre o download de material ilegal. A punição máxima será o bloqueio da conexão – sim, o Skavurzka ficará inacessível.


A iniciativa envolve AT&T, Cablevision, Comcast, Time Warner Cable e Verizon. É como se a Vivo, a Oi, a Net Virtua e a GVT concordassem, todas unidas, em punir os clientes que porventura chegam a filmes, músicas e aplicativos pirateados. É necessário realizar o download do arquivo para receber a notificação.
A coalizão chamada de Center for Copyright Information (Centro para Informações de Copyright, o CCI) prevê pelo menos seis notificações que servem para “educar” os consumidores sobre os direitos dos detentores de conteúdo. O site oficial deles fala ainda em “ensinar a prevenir a infração de direitos autorais” e fornecer informações sobre “formas legais de acessar conteúdo digital”.

Em outras palavras, querem mais vender o peixe dos grandes produtores de conteúdo. Mas é melhor não entrar nessa discussão sobre pirataria porque sempre dá pano demais para a manga.

Ainda de acordo com o site oficial, os alertas de copyright, depois de enviados, dão a operadora o direito de temporariamente reduzir a velocidade da conexão ou redirecionar o assinante para uma página dando mais informações sobre a situação dele.

O mais curioso é que as teles poderão ainda iniciar um programa de educação sobre direitos autorais antes de liberar novamente o acesso do consumidor. Praticamente uma reabilitação online da pirataria. Tem que cumprir o cursinho para voltar a navegar.

Empresas de conteúdo monitoram redes de P2P (o protocolo BitTorrent se destaca neste quesito) para localizar material criado por eles e detectar quais são os IPs envolvidos na troca de dados. Se a sua máquina possui um IP desses ou você se conecta a um IP pirateiro, as chances de receber o comunicado sobem bastante.

Ao menos os provedores oferecem uma central de auditores independentes para revisar os casos. Se o cliente se sentir prejudicado porque foi penalizado sem baixar o material ilegal, poderá recorrer a estes profissionais.

Vale lembrar que a Alemanha monitora com olho de Sauron os dados que trafegam pela rede P2P, como bem contou nossa correspondente Ana Freitas diretamente de Berlim.

O CCI publicou o vídeo abaixo para explicar melhor como as coisas funcionam:

  

About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários