InícioNotíciasQualidade do 3G falha no litoral gaúcho

Qualidade do 3G falha no litoral gaúcho

A baixa qualidade da 3G nas praias gaúchas está aborrecendo clientes das operadoras de telefonia. Mesmo com os alegados investimentos em ampliação da cobertura, boa parte das empresas ainda está devendo na estabilidade do sinal.
Uma pesquisa de um jornal local destacou que Claro e TIM estão com sinais praticamente inexistentes em 4 das principais praias do litoral norte (Tramandaí, Xangri-Lá, Capão da Canoa e Torres).

Segundo o levantamento, Vivo e Oi contam com cobertura nos 4 municípios pesquisados, com velocidades dentro do aceitável pela Anatel.

A Oi ficou com sinais de download entre 900 kbps e 1 Mbps nas quatro cidades, enquanto a Vivo marcou entre 1 Mbps e 1,2 Mbps.

A média do sinal 3G no país no 2º trimestre de 2012 ficou em 1,1 Mbps, uma velocidade razoável dentro do sistema, que pode chegar a até 2 Mbps.

No entanto, segundo destacam alguns consumidores, a qualidade do serviço está piorando, possivelmente ao aumento do número de pessoas com dispositivos móveis ligados à internet.

“Desde o primeiro vereaneio o sinal 3G da Vivo era um espetáculo. Ano passado já ficou com menos qualidade. Este ano então ficou impraticavel. Enfim, sinal tem. Mas não tem capacidade para tanta gente”, relatou o leitor do portal Michael Tatsch.

Segundo o presidente da Teleco, Eduardo Tude, não é obrigação das operadoras atender plenamente a picos temporários de acesso à internet como, por exemplo, os feriadões de ano novo, nos quais já são costumeiros os congestionamentos na rede telefônica.

“Há um grande aumento de tráfego nesta época, mas a rede fica ociosa no restante do ano, o que justifica o fato das operadoras não investirem em infraestrutura nestes locais”, explica.

Mesmo assim, as operadoras alegam reforçar sua capacidade de operação nos meses de veraneio, atendendo aos picos de acesso.

Para a Oi, uma saída foi oferecer um serviço de acesso wi-fi gratuito no centro de Atlântida.

Com a rede “Oi WiFi”, usuários de qualquer operadoras podem acessar a página de registro do serviço e preencher seus dados pessoais (nome completo, telefone, e-mail e CPF), e sair navegando gratuitamente.

A antena permite conexão à internet gratuitamente durante o projeto-piloto da rede. O prazo deste período não foi divulgado pela operadora. Posteriormente, o serviço terá gratuidade no primeiro acesso de qualquer usuário, durante 30 minutos. A rede permanecerá disponível de forma ilimitada e sem custo para os clientes da Oi com planos com serviço WiFi.

O projeto Praia Digital, já explicado em matérias anteriores do portal, do Governo do Estado, disponibilizará hotspots WiFi em Capão da Canoa, Tramandaí, Imbé, cidreira, Pinhal, Quintão e Cassino. Conduzido pela Procergs e pela Secom, o projeto é uma ampliação da iniciativa apresentada em Capão da Canoa em janeiro a março deste ano, na qual foram registrados 50 mil acessos no hotspot instalado no local. O investimento em infraestrutura gira em torno de R$ 100 mil. Os hotspots serão disponibilizados em telecentros localizados em pontos centralizados na orla de cada praia, com uma área de alcance de 2 quilômetros para o sinal.


Confira abaixo a pesquisa do jornal:

Redação Minha Operadorahttps://plus.google.com/112581444411250449571
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
CONTEUDO RELACIONADO
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários

MAIS POPULARES