22/07/2024

Leilão de frequências da Vivo não inclui os assinantes de MMDS

O leilão de frequências que a Vivo fará no início do ano que vem, das faixas de 2,5 GHz e 2,6 GHz, usadas pelo MMDS, vai se limitar à venda de espectro. Ou seja, eventuais assinantes que ainda estejam na plataforma não estão incluídos no negócio.

E a operadora terá que realocar seus clientes, assinantes de televisão por assinatura via MMDS, em outras tecnologias com as quais o grupo ainda atua. Isso pode ser feito mais facilmente em São Paulo, onde a Vivo TV tem operação de DTH e cabo (na cidade de São Paulo). Mas no Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre o cenário é mais complicado, pois não há para onde migrar os assinantes. No caso do Rio, são 35 mil clientes ainda pendurados no serviço de MMDS.

Procurada, a companhia informou que seguirá as determinações do edital de 4G “e do Termo de Autorização firmado no último 16 de outubro”, quanto à liberação do espectro nas cidades onde a operadora dispõe dessas frequências para a prestação do serviço de TV por assinatura.

De acordo com a Vivo, “os clientes Vivo TV servidos por esta tecnologia continuam sendo atendidos normalmente e serão avisados com a devida antecedência sobre qualquer alteração, conforme determina a legislação em vigor”.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários