Oi é a operadora com ofertas mais competitivas, aponta estudo

Levantamento realizado pela Teleco e Pricez identificou ainda que Claro e TIM contam com alguns planos que oferecem vantagem para clientes pré-pago. Vivo não aparece na lista.
Embora a Vivo tenha a maior participação no mercado de telefonia móvel, não é a operadora que têm as melhores ofertas e planos para os clientes. A conclusão é de uma pesquisa realizada pela consultoria Teleco e pela Pricez. O levantamento, batizado de Melhor Oferta, identificou que a Oi é a que conta com ofertas mais competitivas, tanto no modelo pré-pago como pós-pago.

Para chegar a esse resultado, as instituições levaram em conta ofertas e promoções existentes no País de telefonia celular utilizando um conceito de busca pelo menor preço por meio de uma plataforma online desenvolvida pela Pricez. 

“Existem mais de 40 mil combinações de planos e promoções por DDD. Fica inviável para o cliente mapear a melhor oferta. Assim, buscamos facilitar essa tarefa”, afirma Diego Oliveira, presidente da Pricez. “Identificamos que 87% dos clientes de telefonia móvel não têm a melhor combinação de plano + promoção, fazendo com que elas percam, por ano, cerca de 980 reais”, completa.

De acordo com ele, no pré-pago, para usuários de baixo consumo, que não usam web, pouco utilizam SMS e realizam ligações com duração de 2 minutos para celulares da mesma operadora, ainda vale a pena adotar um plano pré-pago e para esse perfil de consumidor o melhor é o Fala + Brasil com Bônus, da Claro, que conta com a melhor tarifa de ligação para números da mesma operadora. “O gasto estimado mensal nesse plano é de 42 reais, tarifa 40% mais barata em comparação com a Vivo, que é de 55 reais”, detalha. Ele aponta que a Claro tem a liderança em 61 DDDs com esse plano.

O executivo explica que a pesquisa identificou ainda que para usuários que têm um perfil de consumo médio, em que 30% das chamadas efetuadas são de longa distância, o consumo local é alto e a utilização da web é de cerca de 150 MB, o Oi à Vontade 110 é a melhor escolha. “A Oi chega a ser 50% mais barata do que a Vivo, por exemplo, que aplica um preço de 200 reais em média por mês”, assinala. 

Novamente, aponta o estudo, a Oi é a opção adequada para usuários de alto consumo, definido pelo consumo de 300 MB de internet, envio de 240 SMS mensais e 40% de ligações para outras operadoras. “O Oi à Vontade 600 tem gasto mensal estimado de 308 reais. Na Vivo é de 441 reais, na Claro 398 reais e na TIM 439 reais. O que faz dos preços da Oi 30% mais competitivos”, observa Oliveira.

No modelo pré-pago, a Oi foi identificada como a melhor oferta para recargas nos valores de 20 reais e 30 reais, com o plano Oi Cartão Ilimitado nos dois casos. “Em média, os bônus das operadoras somam mil minutos com recarga de 20 minutos, a Oi oferece até 10 mil minutos”, sintetiza. Já para recargas de dez reais, a TIM obteve destaque. “Nessa oferta, a operadora oferece 80 minutos de bônus, dez vezes a mais do que as outras”, justifica.

Para Eduardo Tude, presidente da Teleco, a Oi está posicionando-se de forma mais agressiva no mercado, acelerando a disputa do setor. “Sua estratégia é crescer no mercado pós-pago para aumentar a receita. Em 2015, a meta da tele é obter 25% do market share nacional.” Tude considera ainda que a entrada da Nextel no setor de 3G ao final de 2012 vai acirrar a briga.

Sobre o fato de a Vivo não ter aparecido no ranking, Tude aponta que embora a operadora não tenha sido considerada a companhia que oferece melhores ofertas, destaca-se por outros motivos, como cobertura 3G em mais de 2,7 mil municípios e por ter mais base de clientes consegue ter maior apelo nas chamadas entre números da mesma operadora.

Oliveira destaca que ao longo do estudo, alguns pontos de atenção foram identificados. “O consumidor precisa ficar atento às ofertas de SMS ilimitado, que geralmente cobrem as mesmas operadoras; às tarifas de chamadas de longa distância para diferentes operadoras; e pacotes roaming”, lista. Segundo ele, Claro e Oi têm altas tarifas em roaming e TIM a maior de longa distância.

Cenário geral

De acordo com o estudo, o Brasil somou em março 251 milhões de celulares ativos, sendo que 81,8% eram pré-pagos e 78,8% telefones 2G, os aparelhos 3G correspondem a uma parcela de 17,3%. O quadro aponta para um recorde de adições líquidas e brutas em 20011, totalizando 131,4 milhões de adições brutas.

Embora o número de aparelhos ativos no País tenha crescido, afirma o presidente da Teleco, o número de cancelamentos também registrou salto, foram 92,2 milhões trocaram de operadora no período, atraídos pelo preço dos planos. Esse cenário tem levado, segundo ele, à queda do preço por minuto que, em dois anos, caiu 50%, de 40 centavos para 20 centavos, ainda uma das mais onerosas do mundo. “Temos uma estrutura muito competitiva em que o preço da chamada de rede da operadora é mais barato do que o praticado para efetuar ligações para outras. As teles apostam em modelo de comunidade. Ainda assim, o valor deverá cair”, afirma o presidente da Teleco.

A disputa por participação no mercado está cada vez mais acirrada, observa. De acordo com ele, a Vivo é que tem mais presença nas regiões, mas a Claro, por exemplo, lidera alguns DDDs como 69, 63, 67, 61 e 53. A Vivo, prossegue, é a operadora preferida no Nordeste, em alguns estados especialmente porque entrou recentemente na região e lançou ofertas agressivas.

O estudo foi realizado com base nas ofertas e promoções existentes no País de telefonia celular utilizando um conceito de busca pelo menor preço por meio da plataforma online da Pricez que permite o monitoramento do mercado.

Os dados, de acordo com Teleco e Pricez, serão revisados quatro vezes ao ano, coincidindo com as datas mais relevantes para as operadoras: Dia das Mães [dados apresentados no estudo divulgado], Dia dos Pais, Dia das Crianças e Natal.

A SKY tem o plano ideal para a sua TV! Aproveite já com 50% de desconto no primeiro mês. Ligue 0800 123 2040.


COMPARTILHAR EM:

About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
Anônimo

Quem define que é mais barato ou mas caro é o usuário conforme a necessidade de utilização.

Aconteceu comigo na oi: fui atras de preço baixo no pós e levei prejuízo.

Na TIM o problema foi a rede, mas eu so pagava conta com desconto de 20 ou 30 reais.

Na Vivo, nem fui pois o custo iria dobrar.

Na claro consegui mesmo cum uma assiantura mais alta um serviço e plano que preenchesse meu perfil de usuário principalmente pois aonde vou com bastante frequencia só tem cobertura da claro.