quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Para ter plano aprovado, Oi oferece 75% da empresa aos credores

O que você achou? 
Operadora atualiza plano de recuperação judicial mais uma vez, mas agora aumenta em mais 50% a negociação de troca de dívida por capital.

Com a aproximação da assembleia geral de credores, que acontecerá na próxima terça-feira (19), a Oi divulgou, na noite de ontem (12), uma nova versão de seu plano de recuperação judicial, apresentada à 7ª Vara Empresarial do tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ). Desta vez, após 18 meses em recuperação judicial e com R$ 64 bilhões em dívidas, a operadora atualizou seu plano para ser aprovado a partir de melhores propostas aos credores.

A Oi agora oferece até 75% do capital da empresa aos bondholders, que seriam os credores e investidores/detentores de títulos. No último plano apresentado, foi proposto apenas 25% de conversão das dívidas em ações. E como alguns credores pediam 90%, a oferta ficou ali no “meio termo”.


Segundo a Oi, esse novo percentual resultou de um corte de quase metade de suas dívidas financeiras – de R$ 49,4 bilhões para R$ 23,9 bilhões –, além da previsão de uma capitalização de R$ 4 bilhões, já confirmada por um grupo de titulares.

A ideia é que o plano seja rapidamente aceito para que a Oi não se perca nas negociações e possa se recuperar. Essa nova versão, inclusive, foi feita no dia 12 de dezembro exclusivamente pela diretoria da Oi, com Eurico Teles, conforme solicitado pelo juiz do caso, que também dispensou qualquer influência do Conselho de Administração, liderado por Nelson Tanure.

O novo plano ainda afirma que a Oi fará uma captação adicional de R$ 2,5 bilhões e que a expectativa é aumentar o investimento de R$ 5 bilhões anuais para R$ 7 bilhões nos próximos três anos.

As multas aplicadas pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) também tiveram mudança por escrito. O que se propõe agora é que o valor, que já chegou a R$ 14 bilhões por correções e reajustes, seja pago em 20 anos, com ajuste da taxa Selic, básica de juros, e não ao IPCA. 

Vale lembrar que, dos 55 mil pequenos credores que a Oi mantém em seu processo – aqueles que têm até R$ 50 mil a receber da operadora – 30 mil deles já fecharam um acordo antecipado com a empresa, com gasto já realizado de R$ 196 milhões.

Quanto ao investimento de chineses, conforme já noticiado pelo Minha Operadora, possivelmente acontecerá somente após o acordo da Oi com os credores, que pode ou não acontecer na próxima semana, durante a reunião que foi adiada cinco vezes desde outubro. A expectativa é que, com o novo plano, as coisas comecem a melhorar para a Oi.

LEIA TAMBÉM:


Nenhum comentário:

Postar um comentário