23/05/2024

Apple aumenta rivalidade com a Meta ao lançar o headset Vision Pro

Fabricante do iPhone apresentou o dispositivo de realidade mista durante a conferência anual de desenvolvedores da empresa.

A rivalidade concorrencial entre a Meta (antiga Facebook) e a Apple entra em um novo segmento tecnológico: a realidade virtual. No último dia 05, a fabricante do iPhone lançou seu novo headset de realidade mista (virtual e aumentada), o Vision Pro, durante conferência anual de desenvolvedores da empresa, cujo dispositivo custará US$ 3.499 (cerca de R$ 17 mil).

A empresa apresenta o dispositivo como um “produto revolucionário”, com o potencial de mudar a forma como os usuários interagem com a tecnologia. O Vision Pro deve ser lançado no próximo ano e fará concorrência direta com a Meta, que vem desenvolvendo headsets há anos.

Quatro dias antes da conferência da Apple, o CEO da Meta, Mark Zuckerberg, promoveu o Meta Quest 3, com o intuito de superar o lançamento da empresa de Tim Cook. Com um valor muito mais acessível de US$ 499, ou cerca de R$ 2.450, o novo headset do Facebook promete desempenho melhorado, novas funcionalidades de realidade mista e um design mais elegante e confortável.

A rivalidade entre as duas empresas não é uma novidade. Inclusive, essa relação tensa acontece antes mesmo da Apple entrar no mercado. Elas competiram por recursos de notícias e mensagens, e seus CEOs trocaram ataques sobre privacidade de dados e políticas das lojas de aplicativos.

Ano passado, após a Apple limitar a forma como aplicativos como o Facebook coletam dados para anúncios segmentados, a Meta declarou que esperava ter um prejuízo de US$ 10 bilhões (cerca de R$ 48 bilhões) em 2022 por causa da medida.

O mercado da realidade virtual ainda é incerto, mas a Apple e a Meta podem brigar pela preferência dos consumidores, além de incentivar que a tecnologia seja adotada por milhões de pessoas.

Segundo a CNN Brasil, a dona do iPhone tem vantagem sob a Meta devido a sua base de clientes fiéis de mais de dois bilhões de dispositivos, hardwares impressionantes e acesso a centenas de lojas onde os consumidores podem potencialmente experimentar o dispositivo.

“Não acho que a Apple se vê concorrendo com a Meta”, afirmou Julie Ask, analista principal da empresa de pesquisa e consultoria americana Forrester. Zuckerberg está apostando “tudo no mundo virtual, e não é disso que a Apple trata. A Apple está dizendo que não acha que as pessoas querem ser desconectadas do mundo real, que quer melhorar o mundo onde os consumidores estão”.

Entretanto, o sucesso da Apple em impulsionar a adoção generalizada de headsets de realidade mista, pode beneficiar a Meta, já que pode ser uma escolha mais barata para os consumidores. Inclsuive, as ações da Meta subiram ligeiramente na terça-feira após o anúncio da Apple.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários