24/02/2024

Gatonet: comércio de rua ignora Anatel e distribui falsas informações

Anatel tem travado uma briga contra o IPTV ilegal, ou gatonet, porém há locais que parecem estar alheios a isso.

A venda do gatonet continua a todo vapor! Em São Paulo, por exemplo, no comércio de rua é possível encontrar aparelhos piratas que tentam imitar ao máximo aqueles que são liberados pela Agência Nacional de Telecomunicações, a Anatel

Gatonet Santa Efigênia
Santa Efigênia, em São Paulo. Centro comercial de rua para produtos populares de tecnologia.

Em reportagem especial, o site Tilt do Uol, esteve nas ruas da capital do estado de São Paulo vendo como está a realidade da venda desses aparelhos ilegais. 

São Paulo se mostra uma realidade a parte da regulação da Anatel sobre o gatonet

Em um cenário livre das medidas adotadas pela Anatel para combater o uso de aparelhos não homologados utilizados para acessar ilegalmente conteúdo de TV paga e streaming, popularmente conhecido como “gatonet”, diversas “caixinhas” eram comercializadas por valores que variam entre R$ 180 e R$ 1,3 mil. 

Esses produtos eram vendidos acompanhados de informações equivocadas sobre sua legalidade, e muitas vezes eram comercializados com desprezo em relação às iniciativas da agência reguladora.

Existem dois tipos de desbloqueadores de canais disponíveis no mercado. Os mais acessíveis são os transmissores de canais ao vivo, semelhantes aos utilizados em TV a cabo, e possuem um período de validade que varia de um a cinco anos. Depois desse período, uma senha será exigida para continuar a utilização, conforme informado por um vendedor identificado como Felipe. 

Para alguns desses dispositivos, uma taxa anual precisa ser paga para acessar o aplicativo de IPTV, que transmite conteúdo pela internet.

Por outro lado, existem modelos mais caros que possuem processadores mais poderosos, aplicativos para filmes e séries que incluem conteúdo de serviços de streaming, como também possuem a capacidade de exibir vídeos em resolução 4K e permitem que sejam assistidos também em dispositivos móveis. 

Entre esses modelos, o mais popular é o BTV, considerado pelos vendedores como o “iPhone” dos desbloqueadores de canal e o número um do mercado.

Entre as marcas mais populares no comércio estão:

  • BTV (modelos B11, B13 e E13)
  • HTV (modelos H7 e H8)
  • RPC
  • RED
  • Ximibox (tenta imitar o modelo da Xiaomi)

Xiaomi não dá suporte a nenhum produto de nome “Ximibox”

Na caça dos gatonets em São Paulo, foi encontrado um produto que tenta ser semelhante ao da Xiaomi, o Ximibox. A reportagem afirma que os vendedores dizem que esse é o aparelho mais confiável, tem garantia e qualquer defeito basta ir até a loja da Xiaomi, no shopping, que eles resolvem. 

Quando procurada, a Xiaomi disse que o único produto desse gênero que ela possui é o Mi TV Box. Além disso, explicou o seguinte:

“não reconhece este produto como sendo da marca e reforça que o pós-venda é válido para produtos originais comprados exclusivamente nos canais oficiais Xiaomi e representantes autorizados no País”.

E a regulação da Anatel?

Os vendedores foram questionados sobre a regulação que a agência tem feito. Segundo a matéria, todos responderam com informações distorcidas. Chegaram a alegar que algumas marcas eram reconhecidas e liberadas pela Anatel, porém era mentira. 

Vale lembrar que todo produto que tem a certificação da Anatel vem com o selo da agência no produto, justamente para certificar a validade da inspeção no material. 

4 COMENTÁRIOS

Se inscrever
Notificar de
guest
4 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais Votados
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários