Uber libera no Rio ‘botão de emergência’ que aciona a polícia

Com a nova função de segurança, motoristas e passageiros da Uber podem acionar a PMRJ em caso de ocorrências durante viagens.

A Uber, plataforma digital de transporte por aplicativo, liberou esta semana na cidade do Rio de Janeiro uma nova ferramenta de segurança destinada aos motoristas e passageiros que realizam viagens pelo aplicativo. Com o recurso, o usuário pode contatar rapidamente a Polícia Militar em caso de assaltos, assédio ou outros crimes em curso durante o trajeto.

aplicativo-da-uber

Criado graças a uma parceria entre a Uber e a Secretaria de Estado da Polícia Militar do Rio de Janeiro, o ‘botão de emergência’ foi testado pela empresa entre abril e maio deste ano na Baixada Fluminense, registrando no período experimental 32 telefonemas que foram prontamente atendidos pelo Centro de Controle Operacional da Polícia Militar, resultando em 16 ocorrências atendidas por policiais da região, sendo quatro roubos de carros (todos recuperados), quatro avisos de ocorrência em via pública e desentendimentos.

Conforme explica a empresa, enquanto a viagem estiver em curso tanto o parceiro quanto o cliente têm à disposição o botão “Ligar para a Polícia”, que quando clicado direciona a chamada para o Cecopon junto da localização em tempo real do veículo, permitindo uma abordagem segura mesmo se a vítima não conseguir passar informações verbalmente ao atendente da PMRJ, situação pouco comum aos policiais militares.

Ciente dessa limitação na comunicação, o major Ferreira, diretor do Sistemas de Informação da Polícia Militar, destaca ao G1 que todos os atendentes do 190 foram treinados para terem “sensibilidade de entender que muitas vezes o solicitante não vai conseguir comunicar via voz”.

Outras medidas de segurança

Por ora, essa novidade está restrita à capital fluminense, mas é esperado que a Uber integre esse botão em mais municípios brasileiros.

Enquanto isso não acontece, os usuários do transporte por aplicativo podem aproveitar algumas funções de segurança disponibilizadas para todos, como o PIN de segurança para viagens após às 22h e compartilhamento do percurso, por exemplo.

Lucas Ribeiro
Lucas Ribeiro
Jornalista há quatro anos, trabalho com revisão de textos e elaboração de pautas sobre telefonia móvel/telecomunicações no geral. Como lema, compartilho a ideia de Álvaro Borba, que diz: “Não importa o que eu acho, importa o que eu sei, e o que sei são os fatos”.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x