Número de idosos com acesso à Internet cresce no Brasil

Dados mostram que em 2021 mais de 90% das pessoas com idade acima dos 60 anos usaram a Internet; WhatsApp é ao app favorito.

A população idosa sempre demonstrou certa resistência no uso de novas tecnologias, no entanto, nos últimos anos o cenário está mudando graças a medidas de inclusão que por meio da adaptação de conceitos consegue introduzir essa parcela da população no mundo moderno, seja para troca de mensagens instantâneas pelo celular, formação autodidata ou apenas consumo de entretenimento por streaming, como filmes e séries, por exemplo.

idoso-usando-o-celular

Dados de uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offer Wise Pesquisas, mostra que em 2021 houve um aumento no número de idosos que possuem acesso à Internet no Brasil, destacando que as ferramentas de inclusão estão gerando resultados positivos nesse público-alvo.

De acordo com o levantamento, no ano passado 97% das pessoas com mais de 60 anos navegaram na internet, correspondendo a um crescimento de 29% se comparado com 2018, ano em que apenas 68% dos idosos acessavam a Internet. Segundo o estudo, os aplicativos mais usados foram redes sociais (72%), transporte urbano (47%) e aplicativos bancários (45%); nas redes, o WhatsApp foi o mais popular com 92% dos acessos, seguido pelo Facebook (85%) e YouTube (77%).

Como incluir os idosos?

Ensinar os idosos a utilizaram o smartphone, computador e aplicativos no geral não é uma tarefa fácil, afinal, há muitos anos essas tecnologias ainda estavam “engatinhando”, sendo rapidamente modificadas após o ano de 2000, com a chegada de mais fabricantes no segmento de celulares e telefonia.

Portanto, a melhor maneira de proporcionar inclusão é entendendo as dificuldades que surgem a partir desse período e, com isso, personalizar as soluções. Conforme destaca Artur Kronbauer, professor dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação da UNIFACS, essas práticas podem “potencializar as relações familiares, aproximar filhos, netos e amigos, manter a mente ativa e oferecer diversão”.

Para isso, facilitar o uso do celular ou PC é um dos pontos principais que devem ser adotados para encorajar o uso por pessoas mais velhas. Aumentar o tamanho dos ícones e fontes, utilizar uma interface personalizada e evidenciar as principais funções são mudanças que podem ser adotadas para incentivar a inclusão.

Lucas Ribeiro
Lucas Ribeiro
Jornalista há quatro anos, trabalho com revisão de textos e elaboração de pautas sobre telefonia móvel/telecomunicações no geral. Como lema, compartilho a ideia de Álvaro Borba, que diz: “Não importa o que eu acho, importa o que eu sei, e o que sei são os fatos”.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x