quarta-feira, 8 de maio de 2019

Estas são as principais expectativas dos consumidores com o 5G

O 5G promete muito, e os consumidores estão cada vez mais ansiosos. Confira  o que o estudo da Ericsson revela sobre principais expectativas.


A Ericsson lançou um novo relatório desenvolvido pelo seu ConsumerLab. O 5G Consumer Potential – que é um dos maiores estudos de expectativa do consumidor – elimina os mitos da indústria sobre o valor do 5G para os consumidores e descreve as oportunidades disponíveis para os provedores de serviços de comunicações. 

Apoiado por pesquisas , o relatório analisa o potencial do 5G para beneficiar os consumidores, quebrando quatro mitos comuns do setor:
1) de que o 5G não ofereceria aos consumidores benefícios a curto prazo;

2) de que não haveria casos de uso reais para o 5G e que consumidores não veriam valor no preço do 5G;
3) de que os smartphones seriam a “bala de prata” do 5G, isto é, a solução mágica única onde se forneceria serviços de quinta geração;
4) e de que os padrões de uso atuais poderiam ser usados para prever a demanda futura do 5G.

As principais conclusões do estudo são as seguintes:
- Os consumidores esperam que o 5G alivie o congestionamento da rede urbana no curto prazo - especialmente em megacidades, onde seis em cada 10 usuários de smartphones relatam problemas de rede em áreas populosas;
- Os entrevistados também esperam que mais opções de banda larga doméstica estejam disponíveis com o lançamento do 5G.
- Os resultados mostram que os usuários de smartphones estão dispostos a pagar 20% a mais pelos serviços de quinta geração – metade dos early adopters estão dispostos a pagar até 32% a mais. Nesse grupo, 4 em cada 10 usuários esperam novos casos de uso e modelos de pagamento, além de uma rede 5G segura e uma alta velocidade de internet consistente.
Outra descoberta importante é que os atuais padrões de uso 4G não são indicativos de comportamentos futuros de uso. 
O consumo de vídeo está previsto para subir com 5G. Os consumidores esperam não só transmitir vídeo em resoluções mais altas, mas também usar formatos de vídeo imersivos como realidade aumentada (AR) e realidade virtual (VR), resultando em três horas adicionais de conteúdo em vídeo sendo assistido semanalmente em dispositivos móveis por usuários no futuro 5G quando estão fora de casa, incluindo uma hora usando óculos AR ou fones de ouvido VR. 
- O estudo também revela que 1 em cada 5 usuários de smartphones pode atingir mais de 200GB por mês em um dispositivo 5G até 2025. 


5 comentários:

  1. Isso reforçaria a necessidade da conexão ilimitada no 5G para o consumidor, mesmo que haja uma redução de velocidade após o consumo da franquia de dados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade pois já imaginou você navegando a 1GB com um pacote de 2GB, não dá um segundo e vai embora na mesma hora....

      Excluir
    2. Nada haver a internet ser mais rápida gasta mais.

      Excluir
  2. VIVO ainda tem o maior número de clientes
    O Brasil registrou 231.827.959 linhas móveis no mês de novembro de 2018, segundo levantamento da ANATEL.

    Entre grandes empresas, a Telefônica (VIVO) foi a operadora com maior quantidade de clientes, com 73.605.812 linhas. Em segundo lugar ficou a Claro, com 58.873.132 linhas; em terceiro, a TIM, com 56.016.292 linhas; e, na quarta posição, a Oi, com 37.411.881 linhas.

    Entre as linhas móveis, em novembro, foram registradas 133.377.989 linhas pré-pagas (57,53%) e 98.449.970 linhas pós-pagas (42,46%). De outubro para novembro a quantidade de linhas pré-pagas diminuiu em 2.948.429 e a quantidade de linhas pós-pagas aumentou em 1.428.527. Na comparação com novembro de 2017, houve uma redução de 18.714.212 linhas pré-pagas e aumento de 11.450.389 linhas pós-pagas.

    ResponderExcluir
  3. 3G nunca prestou, 4G não presta e o 5G também não vai prestar e o pós pago também vai ser muito caro

    ResponderExcluir

Ao deixar a sua opinião no Minha Operadora você concorda em respeitar o nosso Código de Conduta.