InícioNotíciasCâmara de Londrina aprova Lei que permite privatização de Sercomtel

Câmara de Londrina aprova Lei que permite privatização de Sercomtel

Prefeitura poderá vender ações da operadora sem necessidade de realizar plebiscito.



A Câmara Municipal de Londrina aprovou projeto de lei que permite que a Prefeitura privatize a Sercomtel sem necessidade de realizar um plebiscito. O projeto foi encaminhado aos vereadores pela Prefeitura em meados de outubro.


Em apenas dois minutos, os vereadores aprovaram a lei que poderá traçar o destino da Sercomtel.


Atualmente, a operadora acumula dívida de quase R$ 300 milhões e corre o risco de ter as concessões e licenças de funcionamento caçadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). 

A Anatel abriu um processo de caducidade contra a operadora em agosto do ano passado, que ainda está em trâmite. 

Até mesmo uma consulta pública já foi aberta com a finalidade de licitar para outras empresas a concessão e as autorizações que hoje a Sercomtel detém para explorar telefonia fixa e celular.

No plano de recuperação, a Prefeitura quer contar com a parceria da Copel que detém 45% das ações da Sercomtel. 


VIU ISSO?


A companhia estadual já anunciou R$ 60 milhões em investimentos para a implantação de uma rede de internet via fibra óptica. Mas os esforços podem não ser suficientes. 

O plano foi apresentado à Anatel, que pediu mais empenho por parte do município. 

Diante desse cenário, o grupo de investidores 10 de Dezembro encabeça a possível privatização da operadora. 

Os empresários, que são da cidade, prometem investir R$ 120 milhões para salvar a Sercomtel. Em contrapartida, eles querem 70% das ações da empresa, ou seja, o controle majoritário da estatal. 

Na avaliação dos investidores, a privatização seria a única forma de manter a empresa aberta.

O atual presidente da Sercomtel, Claudio Tedeschi, que tomou posse na última segunda-feira (17), disse que a proposta se trata de uma boa notícia, mas que não pode ser encarada como a única solução para os problemas da empresa.

3 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
3 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários