Prefeitura de Londrina quer atrair investidores para Sercomtel

Principal objetivo é abrir caminho para investimento em telefonia celular, área que soma prejuízo de R$ 15 milhões ao ano à operadora.


Uma semana após a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) abrir consulta pública para concessão dos serviços da Sercomtel, a Prefeitura de Londrina divulgou que irá encaminhar um projeto à Câmara de Vereadores com objetivo de revogar a lei que exige plebiscito para alterar o quadro acionário da empresa


A intenção é facilitar a entrada de novos sócios investidores, já que a operadora acumula um total de dívidas em torno de R$ 230 milhões.  


A proposta de recuperação da Sercomtel foi apresentada em reunião realizada na última segunda-feira (15), com a participação de dirigentes da Companhia Paranaense de Energia (Copel), empresários, vereadores, além do prefeito de Londrina. 

Segundo reportagem divulgada pela Folha de Londrina, o prefeito Marcelo Belinati (PP) enfatizou buscar parceria apenas para a telefonia móvel, já que o serviço vem dando prejuízo de cerca de R$ 15 milhões por ano à operadora. 

Atualmente, as ações da Sercomtel pertencem ao Município (55%) e à companhia estadual de energia elétrica (45%). 

Caso a operadora consiga a aprovação do projeto apresentado, revogando a lei que exige plebiscito para alterar o quadro acionário da empresa, dará o primeiro passo para a entrada de novos investidores.    

A empresa também aposta na ampliação dos serviços prestados por fibra ótica, possibilitada por um investimento de R$ 60 milhões da Copel Telecom em cabeamento na cidade. 
O prefeito Marcelo Belinati (PP) ressaltou, em entrevista à Folha de Londrina, que os sócios se comprometeram a apresentar um plano de negócios para a Anatel.

Ele ainda garantiu que a Sercomtel passará por restruturação administrativa e cortes de despesas, além de renegociação de dívidas.  

“O mais importante é a gente aprovar o plano de negócios para ir à Anatel mostrar que nosso protocolo de intenções está sendo concretizado”, afirmou Belinati.  

Em agosto deste ano, o colegiado da Copel aprovou a recomendação do Comitê de Auditoria Estatutário (CAE) para cortar investimentos na Sercomtel, mas o diretor de Desenvolvimento de Negócios da empresa, José Marques Filho, acha possível reverter a orientação.  

O plano de negócios será discutido em reunião do Conselho de Administração da companhia nesta quarta-feira (17).

O diretor ainda acredita que o plano será suficiente para que o processo de caducidade e cassação das outorgas dadas para a operadora seja suspenso, ainda este ano.  

Na semana passada, a Anatel abriu uma consulta pública a fim de receber contribuições da sociedade para um edital com intuito de relicitar as licenças da Sercomtel para outra empresa. 

Deixe um comentário

Por favor, faça login para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de