terça-feira, 16 de outubro de 2018

Anatel pretende destinar bandas de 26GHz e de 1,5GHz para o 5G

O que você achou? 
Previsão é que a regulamentação das faixas para a tecnologia de quinta geração aconteça entre 2019 e 2020.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) pretende liberar a faixa de 26 GHz para uso do 5G no Brasil. O anúncio foi realizado em um evento de tecnologia em São Paulo na última segunda-feira (15).

A notícia traz animação para o setor de telecom já que as operadoras precisam de frequências maiores para conseguir trabalhar em novos dispositivos de Internet da Coisas (IoT) que necessitam de baixa latência para funcionar bem.

Segundo o gerente de Espectro, Órbita e Radiodifusão da Anatel, Agostinho Linhares, o Brasil não irá trabalhar na faixa de 28 GHz, como os Estados Unidos. 

Os esforços irão se concentrar na faixa de 26 GHz que deverá liberar pelo menos 400 MHz para cada uma das quatro grandes operadoras.

VIU ISSO?


O uso da faixa de 26 GHz deverá ter restrições definidas na conferência mundial de radiocomunicações em 2019, nos Estados Unidos. Por isso, a regulamentação dessa faixa para o 5G só deverá ser realizada entre 2019 e 2020.

A Anatel prevê ainda a liberação de cerca de 90 MHz na faixa de 1,5GHz para downlink. 

Linhares também falou sobre os testes de campo com o 3,5 GHz para o 5G. Assim que encerrarem a fase com o piloto no laboratório do CPqD, haverá um teste de campo em uma rede da Claro, no Rio de Janeiro.

Para o gerente, esse teste será crucial para que se possa evitar qualquer tipo de interferência na faixa.



2 comentários:

  1. Vocês do minha operadora sabem o motivo do Brasil não usar os 28 GHz igual aos EUA?
    Quais são as principais diferenças entre 24, 26 e 28 GHz?
    Existe algo que impede o Brasil de usar a mesma rede?
    Ou é só governo fazendo merda como sempre dificultando as coisas pra população não comprar um celular nos EUA mais barato sem preocupação com as redes?

    ResponderExcluir
  2. poderiam esperar o mundo dizer qual é o padrao para nao ocorrer o que aconteceu com o 4g

    ResponderExcluir