quinta-feira, 25 de outubro de 2018

47,4% dos conteúdos da TV por assinatura no Brasil são estrangeiros

O que você achou? 
Conteúdos brasileiros ocupam um espaço menor até que o ocupado pela publicidade.

A maior parte dos conteúdos da programação dos canais da TV por assinatura ainda é estrangeiro. Conforme dados divulgados pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), em 2017, apenas 17,7% das horas de programação dos canais foram de obras brasileiras.

O conteúdo de audiovisual brasileiro exibido pelas TVs perde até mesmo para a publicidade, que ocupa 19,7% da programação total. Já o conteúdo estrangeiro ocupa 47,4% das horas.  

Os 15,2% de horas restantes da programação é constituído por obras que não configuram espaço qualificado. 

Entre as obras brasileiras, 10,9% foram de conteúdo independente. Os números são do Anuário Estatístico do Cinema Brasileiro de 2017.

Produções financiadas por meio do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) representam apenas 5,5% do total. 

Considerando apenas os títulos independentes, esse percentual é um pouco maior, de 7,2%, que representa 295 títulos. Desses, 202 são filmes.

No horário de maior audiência, a participação das produções brasileiras aumenta. 

Considerando apenas o horário nobre, as obras nacionais correspondem a 29,4% da programação nos canais adultos e 28,9% nos canais infantis.

Em contrapartida, a programação estrangeira diminui de 62,5% para 55,7% nos canais adultos e de 58,2% para 51,7% nos canais infantis.

A programação brasileira independente também aumenta sua participação, ocupando 20,8% do horário nobre dos canais adultos e 19,2% dos canais voltados para crianças e adolescentes.

Na TV por assinatura, o gênero mais exibido em 2017 foram as ficções e os documentários, que juntos representam 68,5% da programação. 
Já as obras de reality show, variedades e vídeos musicais somam 27,1% dos títulos.

Considerando apenas as produções brasileiras independentes, a maior parte delas se enquadra nos gêneros ficção e documentário (74,4%). 

Os reality shows e variedades representam apenas 5,3% dos títulos brasileiros independentes. Já as produções vídeos musicais respondem por 16,2%.

Filmes nacionais


Em 2017, o Brasil bateu o recorde de títulos brasileiros lançados nas salas de cinema. Ao todo, foram 160 longas-metragens, sendo 91 longas de ficção, 62 documentários e 7 animações.

Os títulos brasileiros venderam mais de 17 milhões de ingressos, o que representou uma participação de público de 9,6%. 

Em 2016, foram 142 estreias de filmes brasileiros, e em 2009, apenas 84.

Somando os filmes nacionais e internacionais, o Brasil vendeu, em 2017, 180 milhões de ingressos. 

No entanto, houve uma redução do público em salas de cinema em relação ao ano anterior (184,3 milhões). 

Ainda assim, a renda bruta auferida em salas de cinema, em valores absolutos, teve um aumento de 4,6% em 2017.

O filme que mais atraiu telespectadores foi o “Meu Malvado Favorito 3”, com quase 9 milhões de ingressos vendidos. 

Já o longa brasileiro mais visto foi “Minha mãe é uma peça 2”, que teve um público de mais de 5 milhões em 2017.



Um comentário: