Telefônica analisa abrir capital de sua unidade na Argentina

Telefônica acumula 48,8 bilhões de euros em dívidas e estuda possibilidade de abrir capital na Argentina.

A Telefônica, controladora da Vivo no Brasil, é a maior operadora de telefonia da Espanha e a segunda maior da Europa, mas vem acumulando uma grande dívida, que está em 48,8 bilhões de euros no momento. Fontes ligadas à empresa afirmam que a companhia estuda a possibilidade de abrir o capital da sua unidade na Argentina.

A venda de ações e acordo de compartilhamento de rede com outras teles seriam as opções mais prováveis da operadora para uma recuperação. Uma abertura de capital deve ajudar a minimizar o caixa na Espanha e gerar investimentos na filial da Argentina, através de novas normas que dariam permissão a Telefônica de vender pacotes de linhas fixas e móveis no país.

A Argentina se tornou a segunda maior economia da América do Sul desde que Maurício Macri assumiu o comando do país. O novo presidente tem se esforçado para atrair investimentos de multinacionais para o país. Um ponto que pesa para um investimento da Telefônica no país é o fato de a Argentina ser o segundo maior mercado da empresa na América Latina, ficando atrás apenas do Brasil.

Nos governos anteriores de Néstor Kirchner e Cristina Kirchner, as tarifas de serviços de telefonia fixa foram congeladas, as importações ficaram restritas e a transferências de dividendos das empresas foi limitada.

A Telefônica busca aumentar a participação na área de telecomunicações na Argentina e se prepara para oferecer pacotes de linhas fixas, linhas móveis, internet e televisão.

LEIA TAMBÉM:


No UOL Play você encontra filmes, séries, desenhos, shows e esportes ao vivo. Além disso, alugue os títulos que acabaram de sair do cinema. Clique e experimente por 7 dias grátis!

About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
0 0 voto
Nota para o redator
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários