Venda de frequência deve prever mais qualidade na conexão das escolas, defende diretor da Qualcomm

Os novos editais de venda de frequência da Anatel deveriam priorizar a qualidade das conexões para as escolas e instituições públicas de saúde em troca da ampliação de cobertura, defendeu hoje durante o Wireless Mundi, Francisco soares, diretor de relações governamentais da Qualcomm. “É preciso melhorar a conectividade nas escolas”, afirmou.
Segundo ele, já existem tecnologias disponíveis, como as small cells, que podem ser instaladas nas escolas e hospitais para ampliar a oferta de banda larga.

Já para Fernando Santanna, diretor de Engenharia Comercial da Oi, as cidades inteligentes precisam contar com conectividades de qualidade, e precisam também construir os mecanismos que melhorem a vida dos cidadãos.

“A cada dia se consomem mais dados, os sistemas são mais críticos, se usam mais tecnologias e há cada vez mais riscos”, assinalou. Assim, lembra, não apenas os requisitos de rede são críticos, mas o próprio poder computacional passa a ser um limitador da modernização das cidades.

O professor Roberto Bernardes, da FE,I apresentou uma pesquisa, durante os debates do 14 Wireless Mundi, que mostra que no Brasil apenas 21 cidades têm serviços de matrícula on line.

About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários