InícioNotíciasSinal da TIM desaparece, dessa vez em Fortaleza

Sinal da TIM desaparece, dessa vez em Fortaleza

Usuários da operadora TIM enfrentaram problemas ao fazer ligações, na Capital, na manhã de ontem. As principais falhas observadas foram a ausência de sinal, chamadas não completadas e ligações nas quais os telefones ficavam “mudos”, sem que uma pessoa ouvisse outra.

De acordo com a companhia, o fato se deveu a “uma falha de rede pontual no bairro Pici” ocorrida ontem. A ação, informou, em nota, a TIM, foi causada por “atos de vandalismo que danificaram equipamentos de transmissão da operadora”.

Durante a manhã, alguns usuários tiveram dificuldade para realizar chamadas. “Eu liguei algumas vezes, mas logo, com poucos segundos, a ligação caía”, relata a universitária Rebeca Gomes, cliente da operadora. “Algumas vezes, quando eu liguei, ficou tudo mudo, mas mesmo assim gastava crédito”, acrescenta a estudante.

Ela destaca que, embora os problemas tenham sido notados ontem com maior frequência, falhas desse gênero costumam ocorrer quase todos os dias.

A companhia informou que, após o problema ser constatado, equipes técnicas trabalharam no local e normalizaram os serviços no mesmo dia. “A TIM continua analisando possíveis falhas em outros bairros de Fortaleza”, afirmou, na mesma nota.

A conclusão do relatório sobre as quedas nas ligações em linhas de clientes da TIM deve sair até o fim do ano, segundo Jarbas Valente, conselheiro da Anatel. “Até o final do ano podemos ter uma posição. Se (as chamadas) caíam ou não caíam, ou se era por problema operacional ou não”, afirmou, ontem, após participar de um seminário sobre o setor de telecomunicações realizado na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Segundo ele, a Anatel já vem fiscalizando essa situação há dois anos, em todo o País. “Em momento algum afirmamos, categoricamente, que essa era a intenção da operadora (derrubar as ligações)”, disse.

Valente ressaltou que esse processo não é simples, sendo necessário um aprofundamento dos estudos para se chegar a uma conclusão. “É um processo que tem começo, meio e desdobramento”, disse, evitando dar indícios sobre o que a investigação da agência vem concluindo.

No último mês, um relatório da Aneel apontou que o índice médio de desligamentos no plano de maior adesão da companhia, o TIM Infinity, é de 35,23%, quatro vezes maior do que a média fora do plano. No Nordeste, o indicador é 4,5 vezes mais alto, sendo os cearenses os mais prejudicados. O documento também apontou que havia indícios de que as “derrubadas” das chamadas fossem propositais.

A cobrança do TIM Infinity não é feita por minutos gastos, mas por quantidade de chamadas realizadas. No documento, a TIM explicava que o problema seria causado por fatores externos. No mês anterior, a TIM havia sido proibida de vender chips no Ceará e em outros 18 estados.

Redação Minha Operadora
O mais acessado site de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil. Mais de 17 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas vistas todos os meses.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários