Polícia prende suspeitos de roubo milionário na Claro


Policiais militares da Rotam prenderam, no início da noite de sexta-feira (22), três homens pelo roubo de aparelhos telefônicos da operadora Claro, avaliados em cerca de R$ 2 milhões. 

Trata-se de Mário Márcio Gomes, de 26 anos, Wellington de Matos Couto, 36, Tiago Galdino Ferreira, 18, presos no bairro Araés. Com eles, os PMs apreenderam milhares de aparelhos telefônicos, entres smartphones, tablets, celulares de diversas marcas e modelos como Galaxy da Samsung, Nokia, além de notebooks e assessórios para celulares.

A localização dos produtos roubados ocorreu cerca de 36 horas após o roubo, ocorrido na quinta-feira (21) de manhã, num depósito da empresa, no bairro Pico do Amor, onde a quadrilha, formada por 10 homens, rendeu três pessoas.

Segundo os policiais, alguns dos aparelhos têm rastreador, o que facilitou a localização dos bandidos. Ao monitorarem o local, descobriram que os três entravam num quitinete, ao lado de um lava-jato.

“De início, nada foi encontrado, mas como Welington tem várias passagens por furto e roubo, resolveram checar a quitinete. Nos fundos. dentro de um cômodo foi localizada toda a mercadoria levada da loja”, disse um dos policiais.

As caixas ainda estavam com identificação da empresa, que recebera, recentemente, todo o estoque. O gerente foi localizado e reconheceu as mercadorias. A quantidade de equipamentos roubados impressionou os policais.

“Eram tantas caixas que dá pra encher um quarto de três por quatro até o teto. E, pelo jeito, ainda não tinham retirado nenhum aparelho”, observou um dos policiais. Eles lembraram que esse é um dos maiores roubos dos últimos anos em valor de produtos.

No entendimento dos PMs, os criminosos ainda não tinham fechado com os receptadores, diante do grande o volume dos produtos. Além disso, são todos aparelhos bloqueados, o que dificultaria a venda.

Há cinco anos, houve um roubo semelhante na operadora Vivo e os produtos foram recuperados em Foz do Iguaçu (PR), na fronteira com o Paraguai.

Os policiais tiveram que providenciar um caminhão para levar todos os produtos recuperados até o Plantão Metropolitano da Capital, juntamente com os detudos, para a confecção do boletim de ocorrência. 

De lá, foram transferidos para a Delegacia de Roubos e Furtos da Capital, para serem autuados por roubo. 

Como um deles tem antecedente e por se tratar de produtos de roubo qualificado, o delegado Roberto Amorim não arbitrou fiança.

COMPARTILHAR EM:

About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários