segunda-feira, 8 de abril de 2019

Anatel: cadastro de chips pré-pago passará a ser mais rigoroso

Devido a fragilidade atual para o cadastro, com a exigência apenas de um CPF, criminosos continuam registrando diversas linhas em nomes de inocentes.


Assim como no programa "Celular Legal", em que aparelhos irregulares foram bloqueados, a Anatel também quer fortalecer a segurança em relação a ativação de chips pré-pago. Atualmente o número de CPF já é suficiente para o registro. A meta da agência reguladora é que mais dados sejam exigidos para a ativação.

“O novo sistema vai identificar se o CPF é válido, se é de alguém que ainda está vivo ou algum de falecido”. Além disso, antes de habilitar uma linha serão necessárias mais informações sobre seu usuário", explica Gustavo Santana Borges, gerente de Controle de Obrigações de Qualidade da Anatel. A meta é que as mudanças sejam implementadas até 2020.


O próprio consumidor poderá ter um maior controle sobre como está essa relação CPF x linhas cadastradas. Será criado um portal na internet em que essa consulta poderá ser realizada.

VIU ISSO?

Essas medidas são altamente necessárias, já que é comum bandidos registrarem linhas em nomes de pessoas inocentes, com base no número de CPF. Segundo a Folha de S. Paulo há CPFs com mais de 50 linhas cadastradas.

Segundo levantamento realizado pela  Polícia Civil de São Paulo, com base nos dados de seus grandes operações realizadas desde 2016, mais de 90% das linhas telefônicas utilizadas por criminosos dessas operações desmanteladas pela polícia estavam registradas em nomes de terceiros.



Um comentário:

  1. Sempre achei muito fácil habilitar linhas bem como descartá-las. Tem sim que ser mais rigoroso o processo. De forma também que venha a dificultar ter tantas linhas.

    ResponderExcluir

Ao deixar a sua opinião no Minha Operadora você concorda em respeitar o nosso Código de Conduta.