terça-feira, 25 de dezembro de 2018

Instituto TIM comemora conclusão de primeira turma de bolsistas

Cerca de 200 estudantes que foram medalhistas da OBMEP já foram beneficiados com bolsas do Instituto.

O Instituto TIM oferece bolsas no valor de R$ 1.200 para estudantes medalhistas (ouro, prata ou bronze) da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) que ingressam em cursos de Ciências Exatas em universidades públicas. 

Desde 2015, quando o instituto iniciou a premiação, cerca de 200 alunos de mais de 50 universidades do Brasil já participaram do projeto.

Os alunos beneficiados são ingressantes dos cursos de Engenharia, Ciência da Computação, Estatística, Física, Matemática, Medicina, Química.

A Bolsa é uma parceria do Instituto TIM com o IMPA (Instituto de Matemática Pura e Aplicada), que visa à apoiar financeiramente talentos provenientes de escolas públicas, para que possam cursar a universidade. 

A primeira turma medalhista a receber bolsas do instituto conclui o projeto no fim deste ano. A iniciativa contribuiu para que esses jovens pudessem cursar o ensino superior, mantendo o foco no desenvolvimento educacional.

Estudante de Matemática da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Cleia Fabiane Winck revela que a bolsa foi fundamental para que pudesse cursar a faculdade em Cascavel. 

“Matemática é um curso difícil, com taxa de evasão muito elevada. A bolsa do Instituto TIM permitiu que eu me dedicasse 100% à faculdade, podendo assim concluir o curso no tempo certo. Também consegui ajudar a minha família que é do município de Planalto”, conta Cleia.

VIU ISSO?


A estudante pretende ingressar em um programa de mestrado na sequência e, futuramente, se dedicar à docência.

Já a estudante de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Natalia Barreto Simedo conta que, com a bolsa, conseguiu cursar a faculdade em outra cidade. 

“Foi um grande incentivo para eu me manter em Belo Horizonte, já que sou de Divinópolis. O custo de vida na capital é bem mais alto e, graças à bolsa, pude me dedicar aos estudos”, comenta.

Muitos cursos são integrais e exigem dedicação dos universitários. Bruna da Silva Donadel, estudante de Matemática da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), é natural de Timbé do Sul e precisou se mudar para Florianópolis, onde cursou a graduação. 

“Sem a bolsa, acredito que não teria conseguido concluir o curso, que exige dedicação integral aos estudos e se torna ainda mais difícil para quem precisa conciliar trabalho e faculdade”, destaca a estudante.

Bruna pretende voltar para o interior para dar aulas, além de se dedicar à área de tecnologia.

O Instituto TIM acredita que todos têm direito à educação científica e acadêmica de qualidade, que contribua para o avanço da produção de conhecimento no Brasil.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao deixar a sua opinião no Minha Operadora você concorda em respeitar o nosso Código de Conduta.