Trabalhadores da TIM protestam contra o não pagamento do PPR 2016

Trabalhadores podem entrar em greve se acordo não for cumprido, garante Sinttel.

Funcionários da operadora TIM – cerca de 12 mil em todo o Brasil – estão revoltados com a decisão da operadora de não pagar a segunda parcela do PPR (Programa de Participação nos Resultados) 2016. A TIM disse que as metas financeiras do ano passado não foram atingidas e pode solicitar a devolução do adiantamento de 1,5 salário pago antecipadamente no final de 2015.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações (Sinttel), Marcelo Beltrão, diz que o caso pode parar em greve dos funcionários. “Não aceitamos esta ‘pegadinha’ e se houver qualquer desconto nos salários dos trabalhadores iremos convocar uma greve imediatamente, além das medidas judiciais cabíveis”, afirmou.

Segundo o Sinttel, o que mais deixa os empregados revoltados é a “falta de responsabilidade” da empresa em comunicar com um grande atraso o não pagamento da remuneração. O sindicato não acredita na versão da TIM de que os resultados não foram alcançados e pede um estudo mais criterioso.


“Se os números de 2015 tivessem sido tão ruins, nenhum dirigente da TIM e nem de empresa alguma teria concordado em antecipar 1,5 salários em dezembro. […] A empresa está querendo que
todos os trabalhadores paguem pelos
erros de seus executivos. Mentiram
o tempo todo para o mercado? Enganaram
os acionistas? E agora nós
vamos pagar?”

Atos de protesto e paralisação


Empregados de diversas localidades estão se manifestando contra a falta de pagamento na participação dos lucros. Em Santo André (SP), por exemplo, dezenas de pessoas se juntaram em frente ao prédio da empresa na quinta-feira, 19, para reivindicarem a remuneração.

O outro lado da moeda

Por meio de nota enviada ao Minha Operadora, a TIM voltou atrás e disse que não exigirá o ressarcimento da parcela paga em dezembro por parte dos seus funcionários, mas que realmente a meta necessária para o pagamento não foi atingida. Leia na íntegra:


“A TIM Brasil mantém uma política séria e sólida de remuneração e recompensa de seus colaboradores, honrando todos os compromissos assumidos em seu Programa de Participação de Resultados e as suas regras previamente negociadas com sindicatos e federações. Em cumprimento ao acordo de 2015, a companhia realizou em dezembro passado a antecipação de 1,5 salário. Após a apuração final dos resultados em maio, mesmo sem o atingimento das metas estabelecidas e divulgadas para entidades e colaboradores, por liberalidade a companhia considerou quitado o pagamento. A empresa reforça que não houve nenhum descumprimento à condição previamente estabelecida e mantém diálogo aberto com os órgãos sindicais e federativos e está atenta às demandas dos seus colaboradores.”


Leia também:
About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários