Carta gigante irá chamar a atenção para a qualidade dos serviços de telefonia móvel

Criar uma mobilização nacional para que as operadoras de celular melhorem seus serviços. Esse é o objetivo da startup de internet Konkero, que acaba de lançar o projeto Alô, quero falar!.

Por meio do site www.aloquerofalar.com.br, que entrou no ar hoje, os usuários poderão enviar suas reclamações sobre os serviços prestados pelas cinco principais operadoras de telefonia móvel do país: Vivo, TIM, Claro, Oi e Nextel.

Durante um mês, as reclamações serão impressas em cartas quilométricas e, depois, direcionadas às operadoras.

Ao final da ação, a equipe da Konkero irá compensar a impressão das cartas plantando árvores em quantidade proporcional ao consumo.
O objetivo da ação é gerar uma mobilização coletiva e chamar a atenção das operadoras para as falhas nos serviços de telefonia móvel, em evidência no país nas últimas semanas.

As cartas vão materializar a reclamação dos clientes, e a Konkero se responsabilizará por entregar pessoalmente cada uma delas, cobrando uma posição das operadoras.

As cartas também serão enviadas à Anatel e ao Ministério das Comunicações.

O site Alô, quero falar! ficará no ar por 30 dias, para que os usuários enviem suas reclamações.

Durante esse período, será possível acompanhar o andamento do projeto, o tamanho das cartas e possíveis respostas das operadoras no blog da Konkero.

Como reação aos problemas recorrentes nos serviços de telefonia móvel, a Anatel anunciou em agosto uma proposta de proibição da cobrança de nova chamada, quando a ligação anterior cair.

O usuário terá dois minutos para refazer a ligação sem custo, independente do motivo de interrupção. A proposta passou por consulta pública e deve entrar em vigor em setembro. Mas a medida não agradou tanto as operadoras assim, e a gente fala disso na próximo postagem.

COMPARTILHAR EM:


About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários